Bola de pilates

A bola de pilates é um recurso bem bacana e ace$$ível para você usar durante a gestação e parto (em torno de $60,00)! . Na gestação ela é bacana para favorecer e/ou melhorar a mobilidade da pelve, favorece um relaxamento das costas aliviando as dores lombares, te obriga a manter uma postura mais alinhada o que é bem bom também para um bom alinhamento da pelve e do bebê, dá uma despertada no períneo (e ajuda a relaxá-lo) por manter o contato na região, facilita a execução de vários exercícios. 
No parto, usamos a bola para garantir descanso (adoro usá-la no chuveiro, com água bem quentinha batendo nas costas!), manter pelve na vertical e em balanço (o que ajuda no encaixe e giros do bebê), promover conforto perineal quando bebê está baixinho, ser apoio para gestante ficar de quatro ou acocorada, posições bacanas para o trabalho de parto. Também é legal para ritmar contrações. 
⚠️ Dica importante: precisamos comprar a bola ideal para nossa altura! A maioria de nós utiliza a bola de tamanho médio (para mulheres de 1,55 a 1,70m de altura), mas sempre leiam na embalagem a altura para a qual que aquele produto é indicado ok? 

#gravidez #gravida #gestacao #gestante#pelve #perineo #fisiodoula #fisiopelvica#doula #doulacampinas #campinas#fisioterapia #fisiocampinas

Vamos falar umas verdades?

Não é incomum a mulher contratar uma doula (ou a equipe inteira), e desencanar de tudo achando que não precisa estudar, que não precisa ir em grupo, que não precisa se informar, que não precisa fazer plano de parto... enfim, que não precisa se empoderar e pegar o parto para si! Isso também é tercerizar o protagonismo. Assim como muitas mulheres deixam o ventre nas mãos dos médicos cesaristas, outras deixam tudo nas mãos das doulas e equipes humanizadas.. e sério, não dá certo! A gente serve de apoio, de suporte, mas o caminho é da gestante! As escolhas devem ser dela, e ela precisa entendê-las! Precisa estar ciente de cada processo que deve vivenciar! Precisa planejar as coisas! Imagine que vc deseja viajar! Busca uma agência, escolhe um destino, o hotel que vai ficar, planeja os passeios, detalha tudo! E embarca na viagem! Vc pode fazer a viagem com ou sem guias (doula) te informando e explicando as coisas, mas a viagem vai ser sempre sua! Pode ser uma viagem deliciosa, chata, desastrosa, triste. Tudo vai depender do que escolheu, do que planejou, da sua companhia e ainda assim pode viver coisas que não dá pra prever. Com parto é a mesma coisa! Entendem? Não tercerizem seu protagonismo, seu direito de informação e decisão, ok?! Mesmo que esteja planejando um parto humanizado! Fica a dica! 😘 

 #gravidez #gravida #gestacao #gestante #partonormal #partohumanizadocampinas #doula #doulacampinas #fisiodoula #empoderamentofeminino

Lua de leite. Já ouviu falar?

 Assim como a lua de mel, a lua de leite é um período de intimidade, adaptação e introspecção da família que acaba de se formar ou de aumentar de tamanho! Aquele período onde esses estranhos (afinal o bebê era só uma idéia na mente, e agora é real! 
Um “serumaninho” que vai ser conhecido ao longo dos dias e o sentimento por ele sendo construído a cada troca de fralda!) tem para se conhecer, estreitar e fortalecer o vínculo entre eles. Um período onde essa mulher precisa ser cuidada para que consiga cuidar integralmente do filho, onde contato com o mundo exterior deve ser minimizado, assim como tarefas e rotinas. 
É momento de ficar muito à vontade, mantendo contato pele a pele com o babys, sem olhar relógio, sem ouvir pitacos, sem ter que fazer sala pra visitas, sem ter que se preocupar com mil coisas além do bebê. Por isso é importante se organizar para que a lua de leite funcione. 
Quem vai cuidar da limpeza da casa, roupas e refeições? Talvez refeições congeladas seja uma alternativa bacana. Uma faxineira, companheir@ ou alguém da família possa ajudar. A família é ansiosa e já estão avisando que vão acampar na sua casa quando bebê nascer? 
Então
avise previamente da necessidade deste período. Quando bebê nascer dê notícias e avise que após determinado tempo (isso vai de cada família) poderão visitá-los. Já tente organizar uma rede de apoio, doula pós parto, consultoras em amamentação, gente que entende esse momento e possa te ajudar quando o bicho pegar. Fique com as peitcholas de fora mesmo! Contato pele a pele o máximo que der com esse bebê, para que ele possa sentir muito seu cheiro e os seios estejam sempre à disposição.
Falando em cheiro, cheire sua cria! Muito! Além de ser delícia, facilita a produção hormonal. Também descanse o máximo que der. Durma com bebê, amamente deitada (não vai dar otite!). Chore. Muitas mulheres sentem vontade de chorar (baby blues, papo pra outro post!), então deixe sair. Seu corpo está literalmente vazando: sangrando por baixo, saindo leite pelos peitos e lágrimas pelos olhos. Tudo bem! #fisiodoula #doulacampinas #posparto#puerperio #amamentacao

Fonte: @fisiolah

Dia da conscientização da saúde do períneo

Hoje é um dia especial: dia da conscientização do períneo! E como gosto de falar dele, vim fazer post rapidex sobre o assunto. 



Muita gente já ouviu falar do dito cujo, mas nem todo mundo já encontrou com ele pessoalmente, o que é um grande erro. 
O períneo é o fundo da nossa pelve (bacia), é composto por muitos músculos, está presente no homem e na mulher e tem como função segurar nossas vísceras no lugar, permitir que a gente consiga segurar o xixi, cocô e pum em momentos que não podemos liberá -los (e também quando podemos...ufa!), permite que a relação sexual aconteça e na mulher gestante ainda garante sustentação ao bebê e permite a expulsão. Quanta coisa que essa musculatura faz né?
O problema é que as pessoas não conhecem essa região de seus corpos e do corpo do outro. Regularmente no consultório me deparo com mulheres surpresas com seus períneos, por descobrirem que têm fraqueza e por isso perdem xixi , por descobrirem que contraem demais lá embaixo e aí sentem dor na relação (dor no sexo não é normal), as vezes simplesmente por tocarem, se massagearem e conhecerem suas texturas, dobrinhas, sensações. 😮
E como só trabalho com mulheres, para o dia de hoje (e todos os outros dias da vida) minha sugestão é: se conheçam! Essa região é super importante para nossa saúde e precisa ser observada. Da mesma forma com que olham pro rosto, pro pé, pra barriga, olhem lá embaixo também. Não é feio, não vai pro inferno, não vai ficar estampado na testa que você decidiu se conhecer... mas preciso avisar que sua relação consigo mesma vai mudar possivelmente pra melhor.
Pegue espelho e se olhe. Ponha a mão, sinta como é sua vulva, ânus, vagina. Tem dor? Tocando lá dentro da vagina, um lado é igual o outro? A entradinha é igual o fundo? Consegue contrair (apertar)? Como é essa contração? Puxa pra dentro ou empurra? Por quanto tempo consegue contrair? Usa mais músculos do corpo enquanto contrai lá embaixo? Aprenda como seu corpo funciona. Quando quiser (se quiser), divida isso também com a pessoa com quem se relaciona porque ela/ele também tem períneo.
E gestantes e mulheres no pós parto que precisarem de atendimento, tô por aqui! 




A escolha do hospital

Quando engravida, a grande maioria das mulheres opta em parir no ambiente hospitalar. Mas como escolher esse hospital? O que perguntar e/ou observar durante à visita? 
Nem toda mulher pode ter uma equipe especialmente contratada para cuidar de seu parto e seu bebê, e ficará sob cuidados da equipe de plantonistas do hospital escolhido e aí é importante conhecer o máximo que der da instituição e suas rotinas. Mas as dicas servem também para quem terá sua equipe particular!

Antes das dicas todas, sugiro montar o plano de parto para ajudá-la a visualizar situações (leia sobre esse assunto aqui) e depois visitar o hospital!!!





Vamos lá:

Há algum pré-cadastro que facilite a internação e economize tempo quando chegar lá em trabalho de parto? Há hospitais que dão essa opção aos casais. Você vai lá no final da sua gravidez, e já deixa alguns dados cadastrados facilitando o trabalho da recepcionista no dia que chegar para ter seu bebê.

Caso tenha um plano de  parto, é necessário protocolá-lo previamente?


Verifique se pode ter acompanhante durante o trabalho de parto, parto e também no pós! 
Pai não é visita e ter  acompanhante é um direito garantido por LEI! E a mulher amparada emocionalmente consegue relaxar, se sentir segura e o parto se torna mais bacana!!! Pergunte também se é cobrada alguma taxa.... se sim, saiba que isso é ILEGAL!! E você pode acionar o Procon e outros órgãos competentes.



Além do pai (ou acompanhante de escolha), a mãe pode ter uma doula?? Se sim, quais os procedimentos burocráticos para liberar sua entrada?


Caso deseje registros, fotógrafas são permitidas? Quais procedimentos para o cadastro e liberação delas?

Pergunte quais os procedimentos de rotina realizados na mãe. Muitos procedimentos só atrapalham a evolução normal do trabalho de parto e nascimento.
A mãe é mantida em jejum? Sem energia a mãe não consegue se manter ativa, e bem-disposta! E o bebê também sente se a mãe não estiver bem alimentada e hidratada!


Fazem lavagem ou raspam pelos pubianos? Isso é totalmente desnecessário e convenhamos que um tanto constrangedor!!!

É usado soro para induzir e acelerar? Desde que seu parto não esteja evoluindo anormalmente, não tem porque acelerar o processo. Cada mulher tem seu ritmo, seu tempo... e isso deve ser respeitado. Além de que, se o colo uterino não estiver favorável, o soro nem vai funcionar e além disso, a mulher tende a sentir mais dor que o normal, e dilatar que é bom, nada..

A mãe fica restrita ao leito ou tem liberdade para se movimentar? O movimento auxilia muito a descida do bebê, a evolução da dilatação e no alívio da dor!!!

A mãe tem acesso a recursos não farmacológicos para alívio da dor? Chuveiro/banheira, massagem, uso da bola de fisioterapia, música, velas aromáticas...enfim... tudo que possa ajudar a mulher relaxar e aliviar a dor é muito importante!! E é sempre bom saber o que o hospital possui e o que permite levar/usar!

O parto é sempre com a mãe deitada de barriga pra cima ou ela pode escolher a posição de parir? A posição deitada dificulta a saída do bebê, pois é contra a gravidade... faz com que a mãe aumente o esforço (até porque o sacro - porção mais inferior da coluna - é bloqueado pela cama) e outras consequências surgem. O melhor são posições mais verticais... como cócoras, de quatro, sentada...

A analgesia é dada sempre ou posso optar por não ter? Nem sempre a analgesia é boa... se aplicada precocemente pode retardar o processo todo, e a mulher acabar numa cesárea sem a menor necessidade!
Se eu for submetida à uma cesárea, vou poder ver meu bebê nascer (rebaixarão os campos à minha frente)? Ele será tirado de dentro de mim, com calma e bem devagar, com todo respeito? O cordão será cortado alguns minutos depois do nascimento? Serei desamarrada para poder segurá-lo e amamentá-lo, enquanto terminam de fazer a sutura?



Pergunte quais os procedimentos de rotina realizados no bebê. Muitos são feitos precocemente e só atrapalham o primeiro contato mãe-bebê!!

O pai pode acompanhar os cuidados com o bebê? Nada melhor do que o papai pra acompanhar e tirar muitas fotos!

Usam colírio em todos os bebês? O nitrato de prata é usado em bebês de mães que tenham gonorréia, pois essa doença pode gerar uma conjuntivite no bebê... maaaas, se a mãe não tem nada o bebê também não tem!!

Aspiram os bebês? Se o bebê nasceu de parto normal e chorou bem, os fluídos pulmonares saíram... restando apenas um pouquinho no nariz que são facilmente retirados. Não há necessidade de submete-lo a um procedimento tão invasivo e desagradável como a aspiração.

O bebê nasce e vem direto pro meu colo? Isso é MUITO importante para o estabelecimento da amamentação. É na primeira hora que mãe e bebê produzem hormônios responsáveis pela amamentação e vínculo!

Posso optar pela vitamina K oral ao invés da injetável? A vitamina K é muito importante para prevenir hemorragias no bebê. A maioria dois hospitais dá injetável, mas os pais têm a opção de dar 3 doses orais ao bebê. Depende da cabeça de cada casal... alguns acham uma violência furar o bebê...outros não ligam.

As vacinas são obrigatórias? Muitos pais optam em dar somente algumas ou não dar. Assim como a vitamina K, vai da cabeça dos pais verem a necessidade.Verificar se o hospital é amigo da criança e se tem alojamento conjunto.. pois ter o bebê sempre junto de você é importante para o estabelecimento do vínculo e sucesso na amamentação!

O hospital incentiva o uso de chupetas, mamadeiras, leite artificiais? Se sim, é um hospital inimigo da amamentação!

O hospital disponibiliza o teste do pezinho, olhinho e orelhinha?

Verifique a rotina pós-parto.

Quanto tempo ficará na sala de recuperação???

Quanto tempo você e o bebê ficarão no hospital?

Depois de quanto tempo pós-parto pode se levantar, tomar banho e se alimentar?

A equipe de enfermagem ficará a disposição? Te ajudarão nos primeiros cuidados com o bebê e orientarão amamentação??

Há serviço de cartório no hospital? Isso já facilita a vida!

Quais horários de visita? Quantas pessoas por vez podem me visitar? Tenho opção de não querer receber visitas? Se eu tiver filhos menores de 12 anos, eles podem me visitar? Pai é considerado visita ou tem acesso livre à mim e ao bebê?



E vocês... tem mais dicas do que observar e perguntar no hospital??

Eis o tal tampão!!

Muita gente fala, lê e imagina como é o tal tampão mucoso que é perdido no final da gestação! Mas como ele é de verdade? Tem mesmo cara de catarro? Que cor ele tem? E quantidade, é pouco, médio, muito? Como vou saber que é um tampão e não uma secreção vaginal mais abundante?

Vamos primeiro entender o que é o tampão: ele é uma espécie de rolha mucosa espessa que veda o colo do útero protegendo-o de possíveis bactérias. Durante toda gravidez o colo do útero fica bem grosso e fechadinho e é comum lá no final da gestação ele começar a se modificar (afinando, amolecendo ou mesmo até abrindo um pouquinho) e aí o tampão escorrega. Pode ser que você visualize um "catarrinho" na calcinha quando for ao banheiro e essa secreção pode aparecer por dias e dias... mas também tem mulheres que não a percebem a não ser no dia do parto.
O tampão pode vir numa cor meio amarelada e amarronzada, e as vezes também vir acompanhado de raias de sangue.
O mais importante: não se desesperar!! A perda do tampão não é um sinal efetivo de trabalho de parto, e sim um sinalizador de que nos próximos dias e até mesmo semanas um bebê vai chegar por aí!

E agora vamos ao que interessa!!





E aí meninas, o que acharam? Era isso que imaginavam? Me contem!!

"Eu não tive dilatação"... será?

Mais um texto super informativo da obstetriz Ana Cris Duarte! Aproveitem!
Texto para quem teve dilatação... e praquelas mulheres cujos médicos não deixaram ter dilatação!

"Levanta o mouse para cada vez que você ouviu essa frase, e também se você a proferiu. Não, esquece, você deve ter outras coisas a fazer depois de algumas horas levantando o mouse sem parar.

Vamos aos chocantes fatos: não existe falta de dilatação. Mas por favor, antes que você comece a ranger dentes e ficar com os olhos vermelhos de ódio, leia esse texto até o fim. Se sobrar alguma dúvida ou restar a discordância, conversemos com amor!

A dilatação do colo do útero é um processo passivo que ocorre quando as contrações encurtam as fibras musculares do útero, empurrando o bebê para baixo e puxando o colo para cima. Essas contrações, uma após a outra, vão puxando o colo de tal forma contra a cabeça do bebê, que é como se ele estivesse vestindo uma blusa de gola muito apertada. Cada vez que o útero contrai no trabalho de parto, a gola veste mais um pedaço de milímetro de sua cabecinha.

A contração passa, o colo relaxa, mas não volta a fechar o que já abriu. Na contração seguinte, é puxado mais um pouco. Lá pelas tantas o colo "veste" toda a cabeça do bebê, em seu maior diâmetro. Essa é a "dilatação total", e nessa hora o colo do útero tem aproximadamente 10 cm de diâmetro.

Porque então tantas mulheres (especialmente as usuárias do serviço privado) têm tantos problemas de dilatação? Bem, existem algumas causas, vamos a elas: