Pular para o conteúdo principal

Caism é a melhor maternidade pública do Estado de São Paulo


[9/3/2009] O Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher/Caism, o Hospital da Mulher da Unicamp, conquistou ná última sexta-feira (6) o primeiro lugar entre os melhores hospitais-maternidade públicos do Estado de São Paulo na avaliação dos usuários do (Sistema Único de Saúde). A premiação foi entregue pelo governador José Serra ao diretor-executivo do Caism-Hospital da Mulher, professor Oswaldo Grassioto. Para o diretor-executivo o prêmio reflete uma política de qualidade e atenção à saúde da mulher da instituição que permeia todos os serviços prestados pelo hospital. “Temos certeza que o impacto das atividades assistenciais do Caism são extremamente pujantes para a região de Campinas, o interior do Estado e até para outros estados”, comenta Grassioto.

Considerada a maior unidade hospitalar de atenção à saúde da mulher do interior do Estado de São Paulo, o Caism dispõe de 139 leitos distribuídos entre as sub-especialidades da Obstetrícia, Neonatologia, Ginecologia, Oncologia Ginecológica e Mastologia, por onde já passaram mais de 1,5 milhão de pacientes.

Em 23 anos de atividades, o Caism/Hospital da Mulher já realizou mais de 60 mil partos, a maioria de risco.

O evento promovido pela Secretaria de Estado da Saúde revelou em uma pesquisa, pela primeira vez na história, o ranking dos 10 melhores hospitais e as cinco melhores maternidades públicas do Estado de São Paulo na avaliação dos usuários do SUS. O levantamento ouviu 60,2 mil pacientes que passaram por internações e exames em cerca de 500 estabelecimentos de saúde conveniados à rede pública paulista nos meses de novembro e dezembro de 2007 e abril e junho de 2008.

Foram eleitos vencedores os hospitais que tiveram maior pontuação média entre as unidades que tiveram mais de 100 respostas encaminhadas pelos usuários. Os pacientes receberam o formulário da pesquisa pelo correio, depois do tratamento a que se submeteram, e puderam responder gratuitamente pela internet, carta-resposta ou por telefone.

O primeiro colocado na categoria internação foi o Hospital do Rim e Hipertensão, na capital paulista, com nota média de 9,349. Em segundo lugar, com nota 9,344, ficou o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, ligado à Secretaria, e, em terceiro, a unidade materno-infantil do Hospital das Clínicas de Marília, com nota 9,342 (veja lista completa abaixo).

Entre as maternidades o Caism/Hospital da Mulher conseguiu a nota média 8,904, seguido pelo Hospital Universitário de São Paulo, com 8,843. Todos os 15 hospitais receberam uma placa especial da Secretaria, em reconhecimento ao nível de excelência do atendimento que prestam à população.

O “provão” do SUS tem como objetivo monitorar a qualidade de atendimento e a satisfação do usuário, reconhecer os bons prestadores, identificar possíveis irregularidades e ampliar a capacidade de gestão eficiente da saúde pública. Na pesquisa foram avaliados o grau de satisfação com o atendimento recebido pelos pacientes, nível do serviço e dos profissionais que prestaram o atendimento, qualidade das acomodações e tempo de espera para a internação. Para a classificação das maternidades também foram incluídas perguntas específicas sobre humanização do parto.

“Esses hospitais são motivo de orgulho para o SUS paulista, e quem atesta isso são os próprios usuários. Essa pesquisa de satisfação foi fundamental para avaliar o que vem sendo bem feito na área de assistência hospitalar e o que precisa ser aperfeiçoado. É um instrumento de gestão extremamente importante”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata.

As cinco melhores maternidades
Hospital da Mulher/Caism (Centro Integral de Atendimento à Saúde) Campinas – média geral 8,904
Hospital Universitário: São Paulo – média geral 8,843
Hospital Estadual de Vila Alpina: São Paulo – média geral 8,800
Hospital Santa Marcelina: São Paulo – média geral 8,717
Hospital Geral de Pedreira: São Paulo – média geral 8,714

Os 10 melhores hospitais do SUS de São Paulo na avaliação dos usuários
Hospital do Rim e Hipertensão: São Paulo – média geral 9,349
Hospital das Clínicas: Ribeirão Preto – média geral 9,344
Hospital das Clínicas – Unidade Materno Infantil: Marília – média geral 9,342
Hospital Amaral Carvalho: Jaú – média geral 9,334
Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia: São Paulo – média geral 9,332
Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (Centrinho): Bauru – média geral 9,330
Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas: São Paulo – média geral 9,299
Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC): São Paulo – média geral 9,296
Hospital Estadual de Vila Alpina: São Paulo – média geral 9,289
Hospital Beneficência Portuguesa: São Paulo – média geral 9,288

Mais informações no CAISM!!!!

*Fonte: Unicamp


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…