Pular para o conteúdo principal

BENEFICIOS DO BABYWEARING

Já que no último post falei sobre SLING... vou continuar falando neste também. Recebi esse texto da Mirian.. doula e psico daqui de Campinas!



Muitos médicos e pesquisadores, incluindo o Dr. Harvey Karp (The Happiest Baby on the Block) e o Dr. William Sears, discutem os benefícios de criar uma atmosfera parecida com a do útero materno para os recém nascidos. ‘Vestindo’ seu bebê, você está disponibilizando um ambiente que ajuda a acalmá-lo e a organizá-lo. Seu bebê se move com você quando você se locomove, pode ouvir as batidas do seu coração, sua voz, e sente o calor do seu corpo – sensações calmantes e que o lembram de quando estava dentro da sua barriga. As pesquisas também indicam que o babywearing pode facilitar a regulação hormonal do bebê, ajudando-o a dormir melhor à noite e se manter acordado durante o dia. O babywearing ajuda a regularizar o comportamento e a atividade motora, enquanto também auxilia o desenvolvimento emocional, intelectual e psicológico.

A conexão
O Babywearing acelera e aumenta a conexão. ‘Vestir’ seu bebê pode estimular a liberação de hormônios ‘maternais’. Isto pode ser especialmente importante para pais e bebês que forem temporariamente separados ou que tiveram um início difícil (prematuros, por exemplo). Pais que vestem seus bebês aprendem a ler e responder os sinais deles mais facilmente, e tem uma sensação de competência e confiança maiores.

Choro & Cólicas
Bebês que são vestidos choram e reclamam menos, são mais felizes, gerando famílias mais felizes. Isto se dá devido ao fato de o babywearing ajudar na regulação do equilíbrio do bebê. Formas antigas de acalmar o bebê também atuam no mesmo sistema, tais como andar com o bebê no colo, ninar, e sacudir o bebê de leve. Novamente, levar o recém nascido a uma experiência semelhante à que viveu pelos nove meses que esteve no útero materno permite que se sintam seguros, reduzindo assim o choro. Por vezes, não importa o que façamos, os bebês choram – vestir o bebê é como dizer para ele “você não está sozinho, eu estou aqui”.

Crescimento & Desenvolvimento
Bebês que choram e reclamam tem menos energia para gastar sendo alertas, tem menos energia para se integrar perfeitamente com o ambiente e aprender. Bebês que são vestidos, tem a oportunidade de experimentar de primeira mão o mundo de seus pais; constantemente aprendendo sobre a vida e seu próprio mundo. Esta experiência ajuda no desenvolvimento da fala, do intelecto, e do desenvolvimento motor. Bebês que participam da paternidade dedicada (attachment-parenting) realmente tendem a se desenvolver mais rapidamente, talvez pelo beneficio que a proximidade física com os pais gera no sistema nervosa central e também porque eles gastam menos energia, por não se estressarem tanto e não chorarem tanto. O Babywearing também propicia o crescimento físico, pois promove a produção de hormônios e enzimas que facilitam o crescimento, e porque gastando menos energia com choro, sobra mais energia para o crescimento! Sem esquecer ainda que os experts alertam sempre para os efeitos negativos para a saúde de bebês que são deixados em cadeirinhas e carrinhos por longos períodos de tempo, os carregadores são a resposta perfeita para pais ocupados.

Bem Estar Materno
A incidência de depressão pós parto é menos comum em mulheres que praticam o babywearing, devido à conexão hormonal e também devido ao choro reduzido dos bebês que são ‘vestidos’ ser um fator redutor do stress pós parto.

Bem Estar da Família
O Babywearing pode ajudar na harmonia entre irmãos, pois permite aos pais interagirem mais com os irmãos mais velhos enquanto estão com o bebê no carregador, já que suas mãos estão livres para atender às outras crianças. Isto reduz o ciúme entre irmãos.

Comportamento
As pesquisas mostram constantemente que bebês e crianças que são ‘vestidas’ pelos pais tendem a ser mais cooperativas, sensíveis, positivas, seguras, calmas, confiáveis, carinhosas, flexíveis, simpáticas; e socialmente, elas aprendem mais facilmente a dividir e a amar aos outros.
http://bbbag.blogspot.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…