Pular para o conteúdo principal

Cinta pós-parto

Hoje uma gestante me procurou para pedir minha opinião sobre as cintas pós-parto. EU, particularmente acho inútil. Para mim, o pós-parto é um período onde você tem que se sentir bem confortável, livre... e não ser aprisionada nessas cintas modeladoras, ainda mais nesse calorão (tá, eu sei... eu sou uma mulher meio "menopausada" mesmo com 25 anos, morro de calor e adoro roupas confortáveis... e é justamente por isso, que sou mais contra ainda essas cintas! eheheh). 
Além disso, não adianta comprar essas cintas achando que a barriguinha vai voltar no lugar, que a flacidez vai sumir e que você ficará com o corpo maravilindo...  O corpo levou 9 meses para se modificar e não vai ser usando uma cinta por 40 dias que tudo voltará ao normal. Sabemos que nós, meras mortais, só ficamos lindas, malhadas e gostosonas com moooooito exercício (ou no pós-parto, também muita amamentação) e alimentação decente! rsssss... Acho a cinta mais válida para as mulheres que fizeram cesárea, mas somente para dar mais segurança e melhorar um tiquinho a postura delas no pós-operatório.

E vocês meninas? Usam cintas? Usaram? Gostaram? Não gostaram? Vão comprar? O que pensam no assunto? Comentem!

Como esse assunto de cinta é algo que sempre aparece, resolvi trazer uns trechos de sites que encontrei e que recomendam essas cintas... Até procurei artigos científicos sobre as cintas, mas não encontrei nada.. Nem na Bireme e nem no Google Acadêmico.

O uso da cinta no pós-parto é liberado, não existe contraindicação formal. Quem mais procura são as mulheres que fizeram cesárea. A explicação está no corte, que causa desconforto no abdômen quando a mãe faz algum movimento. Essa cinta, que inclui também o sutiã de amamentação, dá uma sensação maior de firmeza. Para quem optou pelo parto normal, a melhor opção é a cinta-calcinha, que fica na altura do umbigo. A liberação geralmente ocorre após a primeira evacuação, diz Helena Junqueira, ginecologista do Hospital Professor Edmundo Vasconcelos (SP). E o tempo de uso depende de cada mulher. Na maioria das vezes, é usada durante a quarentena. Mas é bom lembrar que a cinta não vai fazer com que você emagreça mais rápido. 


Inicialmente temos que conversar com o obstetra sobre o uso da cinta pós-parto. As opiniões médicas variam bastante. Alguns médicos não recomendam, argumentam que com o uso da cinta o abdome não trabalha e a musculatura fica preguiçosa, já outros, indicam o seu uso logo após o parto, argumentando que a cinta ajuda na recuperação da forma física, seja para parto normal ou cesárea.

O uso da cinta pós-parto proporciona segurança, ajuda a manter a barriga firme. No caso de cesárea, com a cinta você não sente a desagradável sensação de que o corte irá abrir. Se optar por usá-las, pode colocar após o primeiro banho depois do parto. Seja qual for o tipo de parto. Enquanto estiver na maternidade, a enfermeira irá ajudá-la a colocar a cinta pós-parto. Em casa, nos primeiros dias, irá precisar da ajuda do maridão, ou tente coloca-lo deitada.

MAC
As cintas de contenção abdominal, se lhe derem conforto não têm nenhum interesse para a recuperação muscular, que só os exercícios conseguem fazer. Nas primeiras 24 horas após o parto pode começar com os exercícios fáceis (contrair o períneo e meter a barriga para dentro, que deve repetir 3 vezes por dia), podendo depois deste período iniciar os exercícios específicos para determinados grupos musculares. No caso de uma cesariana discuta com o seu médico obstetra ou com uma enfermeira antes de iniciar qualquer tipo de exercício. Como em qualquer situação, o exercício físico deve ser iniciado lentamente e aumentado gradualmente. O exercício é importante para melhorar o bem-estar físico e psíquico!

Essa é uma questão polêmica, pois, antigamente, o uso da cinta era quase que obrigatório. Mas o melhor é não usar. A cinta pós-parto funciona como uma tipóia, como se estivesse "engessando" a região e não deixando os músculos trabalharem para retomar sua tonicidade anterior. Contudo, pode ter seu uso liberado em situações especiais, como para locomover-se em veículos — pois promove uma sensação de segurança — durante as primeiras semanas após o parto.

Comentários

Angela Rios disse…
É verdade Rê, muitas mulheres perguntam sobre a necessidade da cinta. Eu também não recomendo. Considero uma coisa inútil e que incomoda em um período em que você já tem muita coisa incomodando (leite vazando, cicatriz, repouso, sono...). Mal não faz, mas tb não serve pra nada.
E a volta à forma, digo por experiência própria, se consegue amamentando muito e comendo direito. Daí, é facinho emagrecer!
Shilola disse…
Oi Renata,
O esquema da cinta é pra lembrar o maridão da quarentena, flor... :D Huaauhauahauauha... Ele vai ver a esposa, linda, mãe daquele filhote tão esperado, e vai ficar doidinho... A hora que ele ver a cinta, bege, horrorosa, ele dire e dorme! ;)
Sucesso!
Brincadeira, viu!?!?
Mas eu não programei usar essa danada não...
Bjocas,
Carol
Anônimo disse…
Oi Rê... achei o mááááximo essa da quarentena!
Mas falando sério eu usei a cinta nos primeiros dias do pós-parto (que foi normal) pq me senti mais segura em relação a postura... tipo, de repente aquela barriga imensa saiu quase toda e eu me sentia meio "perdida", sem posição sabe?! Aí usei pra me acostumar... mas era inverno e só usei uns 4 ou 5 dias, pq é realmente horrível!
Beijo,
Sou sua fã!

Gabi
Slim Control disse…
ola fisio & doula, meu nome e nancy, e trabalho com a cintas modeladoras slim control, nao somos especializadas em cintas pos parto, mas temos uma linha que foi pensada exclusivamente para as gestantes, e temos as nossas cintas tradicionais sao muito aceitas, porque as mamaes podem usa-las durante um periodo maior. visite nosso blog.
- slimcontrol.blogspot.com
- www.slimcontrolbrasil.com.br

abraços

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…