Pular para o conteúdo principal

Unicamp seleciona voluntárias para pesquisa

Meninas, uma fisioterapeuta amiga minha está selecionando voluntárias que tenham dor durante a relação sexual para fazer parte de uma pesquisa conduzida dentro da Unicamp. Quem se interessar, por favor, leia com atenção o texto abaixo e entre em contato com a Laura!

Pesquisa sobre “DOR DURANTE A RELAÇÃO SEXUAL” seleciona voluntárias para tratamento fisioterápico.

O quadro de dor vaginal durante a relação sexual resulta em um número muito grande de consultas ginecológicas frustrantes, de difícil tratamento, que acaba por afetar a vida sexual da mulher, sua autoconfiança e sua vida profissional. A prevalência da desta condição, apesar de freqüentemente ser desconsiderada por falta de conhecimento médico, vem aumentando muito nos últimos 30 anos. Cerca 16% das mulheres entre 18 e 64 anos apresentaram este problema em algum momento de suas vidas. Mesmo tendo como causa um problema orgânico, é considerada uma desordem de grande estresse, com importantes conseqüências psicológicas e sociais. Existe, quase que invariavelmente, uma disfunção da musculatura pélvica que é acompanhada por acentuado espasmo muscular de todo o diafragma urogenital e pélvico. Esta condição determina uma grande dificuldade de relaxamento, com conseqüente dor à penetração do pênis.
A fisioterapia tem sido utilizada para tratamento de diversas situações de dores musculares em todo o corpo. O emprego da fisioterapia com eletroestimulação com “Correntes Interferenciais” já é utilizado em traumas ortopédicos e distrofias musculares.
Estudo realizado no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM) está se propondo a oferecer tratamento fisioterápico gratuito para melhorar a DOR VAGINAL de voluntárias de 18 a 45 anos, com dificuldade de penetração durante o ato sexual há mais de 6 meses.
As interessadas devem entrar em contato com a pesquisadora Laura Pagotto Yoshida pelo celular (19) 9132.9993 ou pelo email laurapyoshida@yahoo.com.br
Este projeto de pesquisa esta sendo orientado pelo Prof. Dr. Paulo César Giraldo do departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FCM/UNICAMP tendo recebido aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa e pela FAPESP.

PESQUISA: TRATAMENTO FISIOTERÁPICO DE MULHERES QUE APRESENTAM DOR NO ATO SEXUAL (VULVODÍNEA)

Mulheres com dor vaginal de penetração ao ato sexual (Vulvodínea) que gostariam de passar por tratamento fisioterápico poderão participar de pesquisa no Ambulatório de Infecções Genitais (AIG) do CAISM, UNICAMP.

Condições para participar:
1.    Ter dor vulvovaginal durante a penetração na maioria das relações sexuais há mais de 6 meses
2.    Ter entre 18 e 50 anos
3.    Ser sexualmente ativa
4.    Não usar DIU e não estar grávida

Interessadas: entrar em contato com a Fisioterapeuta Laura P. Yoshida ou o Prof. Dr. Paulo César Giraldo, no telefone: 9132.9993 ou por email: laurapyoshida@yahoo.com.br

OBS: As mulheres selecionadas para o estudo receberão avaliação ginecológica, tratamento fisioterápico (2x/semana) por 4 semanas e auxílio para transporte.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…