Pular para o conteúdo principal

Períodos de crise do bebê

Recebi esse email da minha querida amiga linda, fisio e doula, Andreia Weckwerth.... mas não sabemos quem é o (a) autor (a). Se alguém souber, por favor, me avisem para eu colocar os devidos créditos... Em todo caso, também achei um artigo bacana sobre o assunto. Se quiser ler, clique AQUI!


Períodos de Crise:
O bebê mama mais, dorme menos, se agita, fácil confundir com cólica. Com colo, peito e atenção tudo passa...

-> 5 semanas / 1 mês e 1 semana.
-> 8 semanas / 2 meses.
-> 12 semanas / 3 meses.
-> 19 semanas / 4 meses e 2 semanas.
- > 26 semanas / 6 meses e 2 semanas.
-> 30 semanas / 7 meses e 2 semanas.
-> 37 semanas / 9 meses e 1 semana.
-> 46 semanas / 11 meses e 2 semanas.
-> 55 semanas / 13 meses e 3 semanas ( 1 ano, 1 mês e 3 semanas).
-> 64 semanas / 16 meses (1 ano e 4 meses).
-> 75 semanas / 18 meses e 3 semanas. (1 ano, 6 meses e 3 semanas).

Ainda segundo os autores, depois de uma crise o bebê ‘de repente’ começa a fazer coisas que não fazia antes, dá um salto de desenvolvimento mesmo, e também fica mais feliz. Então durante as crises é só ter um pouco de paciência, logo passa...

1. Salto - 1. semana.

2. Salto – 8. semanas (2 meses): Seu bebê sente, cheira, vê e ouve coisas que säo totalmente novas prá ele. Ele se sente inseguro e quer o colo da mäe. Essa fase pode durar de alguns dias até duas semanas. Ele chora mais, come menos, estranha as pessoas e se agarra mais à mãe. Dorme mal e suga mais o dedo ou a chupeta.

3. Salto – 12. semanas (3 meses): Novamente tudo é novo: ele quer o colo da mäe!

4. Salto – 19. semanas ( 4 meses e 3 semanas): Você percebe que seu bebê faz coisas que até hoje não havia feito. Por volta da 14ª até a 17ª emana ele torna-se impaciente, pois ele percebe que as coisas estão mudando. A partir dessa idade essa fase difícil comeca a demorar mais para passar. Normalmente dura 4 semanas. Pode porém se extender por 1 ou até 6 semanas a mais. Seu bebê chora mais, apresenta mudanças extremas de temperamento e quer mais atenção. Come e dorme menos. Emite menos ruídos que antes e se movimenta menos. Estranha as pessoas e busca maior contato corporal qdo está sendo amamentado.

5. Salto – 26. semanas (6 meses e 2 semanas): Já na 23. semana o bebê torna-se mais difícil. Essa fase durará 4 semanas, podendo porém extender-se por até mais 5. Apresenta todas as caracteristicas da fase anterior. Busca porém maior contato corporal durante as brincadeiras.

6. Salto - 37. semanas (9 meses e 1 semana):  Seu bebê fica temperamental, “manhoso” e chora sempre. Seu humor muda rapidamente de alegre para agressivo e vice-versa. Quer ter mais atividades e näo admite näo tê-las! É exageradamente amoroso e tem ataques de raiva. Estranha as pessoas e protesta qdo o contato corporal é interrompido. Come mal, dorme menos, movimenta-se menos e “fala” menos. Às vezes senta-se quieto e sonha acordado. Näo quer que troque sua fralda, chupa sempre o dedo e se consola com seu bichinho de pano.

7. Salto – 46. semanas (11 meses e 2 semanas): Mesmas características da fase anterior.

8. Salto – 55. semanas (13 meses e 3 semanas ou 1 ano, 1 mês e 3 semanas): Mesmas caracteristicas da fase anterior.

Comentários

Andréia Doula disse…
ah q emoção!!!
quanto elogio!!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…