Pular para o conteúdo principal

A dor do parto é o problema?

Hoje, em resposta a uma pessoa que disse que tem medo da dor do parto, redigi um texto sobre isso que quero compartilhar aqui com vocês..... 
Deem suas opiniões!!

Você diz que o grande problema do PN é a dor, certo?

Uma dor que não é contínua (e sim cíclica, que vem em ondas, começa devagar, atinge um ápice e depois diminui desaparecendo até o próximo ciclo).
Uma dor que tem hora para começar e hora para acabar.
Uma dor que existe justamente para você saber que algo natural, normal e bonito está acontecendo com você e seu corpo (ou seja, não é uma dor "ruim", dor de doença, de patologia, que você não sabe quando irá acabar)
Uma dor que além de trazer consigo um bebê, te traz também muitas reflexões sobre o passado, presente e futuro. Uma dor que te faz crescer e nascer junto com seu bebê.
Uma dor forte, intensa sim.... como um grande abraço de despedida que seu corpo dá ao seu bebê, afinal depois de 9 meses juntos eles irão se separar para sempre.... e uma separação tão intensa como essa, realmente merece muitos abraços apertados.
Uma dor que te prepara para todo seu futuro, pois superando-a a sensação que fica é a de missão cumprida, de orgulho, de força, de bater no peito e dizer "pqp, eu sou foda mesmo!".... rs.... e acredite, depois disso a mulherada tem a sensação que elas podem tudooo!

Será que essa dor é tão ruim assim?????

Será que é preferível abdicar dessa dor natural para ter uma dor pós-operatória? Uma dor de tecido cortado, mutilado, costurado? Uma dor controlada com analgésicos (que passam para o leite!)? Uma dor que te faz ficar com gases, com medo de tossir, de andar, de erguer o corpo e que muitas vezes, dificulta os cuidados com seu próprio bebê? Uma dor que você não sabe quando vai acabar? E que pode vir acompanhada de várias outras coisinhas como infecção, ponto que abre, etc?

Será que é medo da dor ou medo de si mesma? Medo de seus instintos que você não conhece? Medo do comportamento que vai ter? Medo de gritar, de gemer, de estressar? Medo das dores emocionais que vai causar? Medo do que vão pensar? Ou é medo de falhar?

E porque tanto medo? Porque se importar tanto? Parto não é um momento de se conter, de se fechar e sim de abrir, de gemer, de gritar, de ser você mesma pura e simplesmente. Só você. E não há nenhum mal nisso!!!!

Sabe, minha intenção não é ser xiita, radical, pensar só em PN e blá blá blá..... E sim tentar fazer as mulheres olharem a situação sob outro ponto de vista!!

Nós oferecemos nosso corpo, nossa gestação, nosso parto, nosso filho para a Medicina. Não seria ela que teria que se oferecer para gente? Porque não confiamos mais em nós mesmas, em nosso corpo e nos processos fisiológicos que nos regem há milhares de anos? Porque preferimos aceitar as tecnologias que tentam simular a ação de Deus, que tentam consertar processos que não necessitam de consertos? E porque valorizamos tanto essas tecnologias?

Parir é um processo fisiológico! Como respirar, comer, andar, fazer cocô, fazer sexo............ porque não deixamos os outros interferirem nesses processos, mas deixamos que interfiram no nosso parir?

É realmente algo que temos que pensar!

A dor existe. É fato. Então, deixe ela vir. Consinta e sinta. Se abra. Relaxe! E deixe a natureza agir!!!!

Comentários

Renatinha disse…
Re, existem tantas terapias e exercicos hoje que ajudam a diminuir a dor, q ter medo de parto ficou coisa do passado.
Eh uma luta grande e diaria a de convencer as gravidas q PC nao eh legal, ne?(a nao ser q seja meeeeesmo necessario)
Adorei o texto, parabens
bjus
Angela Rios disse…
Adorei o texto... é o que eu sempre digo para minhas pacientes!! Parabéns!
Crisminiaturas disse…
Ótimo post!
Fico triste quando vejo algumas pessoas tratando a dor do parto como um medo bobo ou coisa do passado.
É um medo normal, toda mulher tem e sim é uma dor muito forte.
Mas é uma dor que você sabe que vai passar.
Você pode gritar, chorar, é normal e ninguém de bom senso vai te sensurar.

Já a cesárea é uma cirurgia e como toda cirurgia tem seus riscos e a dor do pós operatório.

A decisão deve ser sempre da mulher junto com seu médico...E seja ela qual for deve ser respeitada.

Eu tenho uma menina,foi parto normal, e hoje se eu tivesse que escolher denovo eu optava pelo parto normal denovo.
Anônimo disse…
Re, esse tópico e as conversas que tivemos me ajudaram muito na hora do meu parto, vc me trouxe mais segurança e confiança e meu parto foi ótimo,e posso dizer para as gravidinhas que foi menos doloroso do que eu pensava; e que a recompensa é maravilhosa, quando vc vê o seu bebezinho e o pega no colo é um momento inesquecível na vida da mulher, a gente pensa: " agora sou uma mãe de verdade, meu baby chegou de PN". Deus nos ajuda de varias formas nessa hora, e outra coisa,pense que seu bebê está chegando,chegando...e logo vc mamãe vai estar muito feliz, eu tive uma sensação de bem estar muito boa depois do parto,nem parecia que tinha tido neném rsrsrs
Re, parabéns pelo texto. Estou grávida, com 38 semanas, e suas palavras me deram mais força para ter o PN.
Lindo texto, Renata!
Ah se eu morasse aí mais perto...
Quando eu ficasse grávida, com certeza pediria a você pra ser minha doula!
Enfim, quem sabe...? Risos
Regiane disse…
Bem, penso que se faz necessário pensar no PN como algo normal e fisiológico, mas não podemos descartar que há situações que não é a melhor solução, no caso de uma bacia pequena, pouca ou nenhuma dilatação e até mesmo a tentativa de um parto normal e por fim com fórceps, como caso de uma amiga , que se feriu toda, na tentativa de um parto normal, que lhe trouxe traumas, a ponto de não querer mais gerar...levou 8 pontos, pois verificou-se na hora da expulsão que realmente não era mais o indicado, como seria uma cesária, temos que nos conhecer e saber que nem um corpo é igual ao outro, o importante é o bem-estar da mulher e do bebê, trazendo boas recordações de um momento tão importante, sem restrições ou preconceitos simplesmente por uma, digamos, filosofia.
Amanda Martins disse…
"Nós oferecemos nosso corpo, nossa gestação, nosso parto, nosso filho para a Medicina. Não seria ela que teria que se oferecer para gente?" Perfeito, adorei o texto e adorei o blog. Amanda, doula em Porto Alegre.

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…