Lei torna o uso da cadeirinha de segurança obrigatório em todo o país

Além de evitar a multa, veja outras seis vantagens que a instalação do acessório oferece 


Dirigir com criança no carro é um sufoco. Elas não param quietas, resmungam, tiram a atenção do motorista, além de exercitarem ao máximo a curiosidade mexendo e remexendo nas peças do carro. A solução mais simples contra toda essa euforia, antes optativa, agora ganha ares de lei: a instalação da cadeirinha de segurança acaba de se tornar obrigatória para crianças com até sete anos e meio, por determinação do Conselho Nacional de Trânsito.A multa aos infratores, atualmente calculada em R$ 191,54, só começa a ser aplicada em 2010, assim como os sete pontos na carteira. Mas quem corre para lá e para cá com os pequenos a bordo não deveria adiar o uso da proteção. No Brasil, mais de 2 mil crianças e adolescentes morrem, anualmente, em acidentes de carro. E mais 38 mil sofrem lesões irreversíveis em alguns casos.

Estimativas internacionais indicam que a cadeira infantil, quando instalada e usada adequadamente, reduz os riscos de morte em 71% e a necessidade de hospitalização em 69% dos casos. Os dados são do Insurance Institute for Highway Safety, entidade americana que faz pesquisas voltadas à prevenção de acidentes de trânsito.

Atualmente, três modelos do acessório estão disponíveis: bebê conforto (espécie de moisés, indicado para bebês com até treze quilos); a cadeira de segurança propriamente dita (acolchoada e com cinto de segurança especial) e os chamados boosters (apoios de banco, que deixam a criança na altura ideal para uso do cinto embutido carro).

Mas se as estatísticas não são suficientes para convencer você a adotar o aparato, veja abaixo os seis motivos que Mario Monte Alto, especialista em segurança infantil, lista a favor da cadeirinha. Pense neles enquanto a multa não entra em vigor.

1. Conforto: os assentos dos carros não foram pensados para as crianças menores. As cadeirinhas contam com uma estrutura rígida e acolchoada, deixando a criança mais bem acomodada, além de segura.

2. Tranqüilidade: pais de recém-nascidos nem sempre dispõem de companhia para olhar o bebê enquanto dirigem. O bebê-conforto acomoda com segurança crianças de até 13 quilos. Preso firmemente ao banco, ele impede impactos quando o carro é obrigado a atravessar obstáculos, como buracos ou lombadas, evitando choro.

3. Proteção: as crianças acima de três anos são muito curiosas e, não raro, sapecas. Ficam só à espera de uma oportunidade para vasculharem no que estiver pela frente. A trava do cinto, com aquele botão vermelho, é um convite à traquinagem. Por isso, o cinto das cadeirinhas é adaptado: a trava exige uma pressão e força maior por parte de um adulto ou criança mais velha para soltá-la.

4. Atenção: com as crianças devidamente acomodadas, o motorista fica em paz para dirigir com a atenção que a situação exige. Não vai haver mãozinhas agitadas mostrando coisas ao papai ou à mamãe, muito menos brigas entre os irmãos pequenos.

5. Acordo de paz: o drama é comum entre crianças com pouca diferença de idade. Elas brigam à toa e não perdem uma oportunidade para fazer pirraça. Um adulto que esteja com atenção voltada a outra coisa é um sonho! Com duas cadeirinhas instaladas (número máximo num carro de passeio simples), as chances de confusão desaparecem.

6. Incidentes: além dos perigos do trânsito, o próprio carro pode render surpresas desagradáveis. O freio de mão é pontiagudo demais, o cinzeiro pode prender os dedinhos, sem esquecer as peças pequenas, uma atração à parte para as crianças, que podem querer levá-los à boca e se sufocar.

*Fonte: Minha Vida

Quer aprender a colocar a cadeirinha corretamente??? Assista o vídeo abaixo!!

1 comentários:

Renatinha disse...

Olha Rê aqui é mais que obrigatório, é questão etnica. Até quando alguém aluga um carro eles já oferecem a cadeira pra quem tem cç. Tava na hora do Brasil adotar essa medida. bju