Pular para o conteúdo principal

Mitos sobre as doulas

Encontrei essa postagem, no blog "Aqui há bebé"... e resolvi trazê-la pra cá porque realmente a função da doula ainda causa dúvidas e estranhamento. Mas estamos aí para tirar todas dúvidas e agora, este post, vem também desmistificar essa nobre função!


Se tenho o meu companheiro ao meu lado no parto, não precisarei de uma doula
A doula não "invalida" nem rivaliza com a presença do pai no parto. Na verdade a doula não apoia só a mãe. Também apoia o pai.
Durante a gravidez, a doula informa o casal sobre todo o tipo de temas relacionado com gravidez, parto e pós-parto. Prepara-os para esse período que virá em seguida. Durante o trabalho de parto e parto apoia fisica e emocionalmente a mãe e apoia também o pai, muitas vezes sugerindo medidas de conforto que este pode proporcionar à mãe, tranquilizando-o, informando-o sobre o que está a acontecer. No pós-parto a doula apoia a mãe e o pai, transmitindo informação sobre os cuidados e características do recém-nascido, apoio na amamentação e apoio emocional.

Se tenho médicos e enfermeiros ao meu lado no parto, não precisarei de uma doula
O pessoal médico (sobretudo nos hospitais) está focado em tratar patologias, em estar atento a eventuais emergências, em controlar que tudo esteja dentro de um padrão estabelecido, o tratamento é geralmente impessoal e muitas vezes frio.
Para além disso, as enfermeiras das grandes maternidades têm normalmente a seu "cargo" várias grávidas de uma vez e não têm muito tempo para dedicar a cada uma, da mesma forma que uma doula o faz.
A doula não sairá de perto da mulher (a menos que a impeçam de permanecer junto dela), e dedicar-lhe-à toda a sua atenção, apoiando-a física e emocionalmente até depois de o bebé nascer.

As doulas são meio "hippies" ou "new age", por vezes são também vegetarianas e/ou ecologistas e as mulheres que requerem os seus serviços também. 
As doulas são profissionais sérias com formação específica, que seguem, inclusivé, um código de conduta.
Claro que, tal como todas as pessoas, fazem escolhas e tomam opções na sua vida pessoal. Se não se sentir confortável com a doula que conheceu, o melhor será tentar conhecer outra que sinta que se possa adequar mais ao seu perfil pessoal e com quem se sinta mais confortável (o primeiro encontro, que serve precisamente para conhecer a doula antes de decidir requerer os seus serviços, é sempre gratuito e sem compromisso).
No entanto uma doula nunca deverá deixar que as suas escolhas pessoais influenciem, de alguma forma, o casal que acompanha.

As doulas são para quem escolhe um parto 100% natural. Se estou a pensar em levar epidural não preciso de uma doula.
A doula apoiará a mãe em todas as suas escolhas informadas. Mesmo que opte por levar uma epidural a doula ficará ao seu lado prestando todo o apoio possível, até depois do bebé nascer para ajudar com o início da amamentação.
Tal como refere esta doula, a epidural não irá segurar na sua mão e dizer-lhe o que está a acontecer consigo e com o bebé. A epidural não lhe fará companhia enquanto o seu companheiro vai comer alguma coisa. A epidural não a consolará caso se sinta só, triste ou assustada. A epidural não lhe fará uma massagem nem a ajudará a encontrar uma posição mais confortável para descansar.
A Doula também não a acompanhará exclusivamente no parto. Estará consigo durante a gravidez, durante o parto e no pós-parto, enquanto sentir que necessita do seu apoio.

As doulas são só para quem planeia um parto domiciliar. Se vou para uma maternidade não faz sentido levar uma doula.
Um dos estudos mais conhecidos (Klaus e Kennel) sobre os benefícios de ter uma doula no trabalho de parto e parto, foi feito, precisamente, no hospital.
Assim, pode-se dizer que o conceito de doula da era moderna (apesar de sempre terem existido doulas durante a história da Humanidade) começou no hospital.
E é talvez no hospital que as doulas fazem mais falta, onde os serviços são impessoais e as necessidades emocionais da mulher são, geralmente, ignoradas.
Também é verdade que as mulheres que optam por partos domiciliares escolhem, na maioria das vezes, ter uma doula a seu lado (porque geralmente são mulheres que se informaram a fundo sobre todas as questões relativas ao parto e conhecem as vantagens de ter uma doula).
A doula acompanhará e apoiará a mulher independentemente do local que esta escolher para o seu parto.

Ser doula é parecido com ser parteira
Este é um dos mitos mais frequentes e dos mais errados! Uma parteira é uma enfermeira especializada em saúde materna e obstétrica que assiste e acompanha grávidas e seus partos (em Portugal, já que noutros países existe o curso de "Midwife" que permite que a pessoa se especialize apenas em obstetrícia, sem ter de passar pela enfermagem "geral"). A doula não é profissional de saúde, ao contrário da parteira, nem realiza quaisquer actos médicos. A doula promove suporte físico, emocional e informativo à mulher, durante a gravidez, parto e pós-parto.

A doula é uma pessoa estranha, não estarei à vontade com ela durante o trabalho de parto
A doula entrará na sua vida (se assim o desejar) ainda durante a gravidez e terão vários encontros que permitirão conhecimento e aproximação recíprocos. Daí ser tão importante que goste da sua doula e sinta empatia e "à vontade" com ela.
O papel da doula é precisamente transmitir-lhe confiança e deixá-la à vontade. E se assim for, quando chegar a altura vai ser muito reconfortante ter consigo a sua doula, que a poderá confortar, transmitir confiança e apoiar durante o trabalho de parto.

Ter uma doula é muito caro e não é para toda a gente
Ter uma doula não é tão caro como algumas pessoas pensam.
É verdade que há doulas com honorários mais altos do que outras (tem normalmente a ver com a experiência que possuem) mas ainda assim, se fizer as contas, verá que a maioria das doulas cobra em média o valor de 3 consultas num médico particular.
Tendo em conta que estará consigo várias vezes durante a gravidez, a acompanhará durante o trabalho de parto e parto, a visitará em sua casa para apoio no pós-parto e estará disponível por telefone a qualquer hora durante todo este tempo...
Se ainda assim for demasiado para si, lembre-se que as doulas fazem este trabalho por vocação e sentido de missão. Se não puder pagar poderá tentar acordar uma solução com a doula (a maioria das doulas está aberta a entrar em acordo). Nenhuma mulher deverá deixar de ter uma doula apenas pela questão financeira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…