Pular para o conteúdo principal

O papel da doula no atendimento ao parto é discutido em Brasília

Repassando notícias da III Conferência Internacional sobre Humanização do Parto e Nascimento!


O papel da doula no atendimento ao parto é discutido em Brasília

Centenas de mulheres do Brasil e do mundo participaram ontem, dia 26, da III Conferência Internacional sobre a Humanização do Parto e Nascimento, em Brasília. Apesar da abertura oficial ser hoje, dia 27, às 19h30, com a presença do Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, os debates e cursos já começaram.


Durante a manhã as participantes tiveram a oportunidade de entrar em contato com vivências de auto cuidado, como o self healing, a biodança, o pilates, os florais e a visualização do parto. O espaço das rodas de convivência foi dedicado a reflexão sobre a atuação da doula, a dor no parto e o luto no parto.

O trabalho do Hospital Sofia Feldman, de Belo Horizonte, pioneiro na implantação do trabalho da doula no Sistema Único de Saúde (SUS),foi um dos destaques das mesas redondas. Desde 1997 o Hospital desenvolve o projeto doula comunitária, que proporciona suporte físico e mental a parturiente e seus familiares antes, durante e após o nascimento. O objetivo é resgatar o processo natural do parto e do nascimento e, dessa forma, diminuir a alta taxa de cesarianas feitas no Brasil, 15% acima do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Para Maria de Lourdes, conhecida como Fadynha, presidente da Associação Nacional de Doulas e doula há 32 anos, o primeiro dia foi emocionante e surpreendente pela quantidade de gente e intensa de troca de saberes. “Nessa pré-conferência eu achei importante o fortalecimento do papel da doula, fundamental no processo do parto. Aqui é o início de um longo caminho”, ressaltou.

A preocupação com capacitação de parteiras profissionais foi o tema central dos debates do I Encontro Internacional da Relacahupan – Rede Latino Americana e do Caribe pela Humanização do Parto e Nascimento, que acontece dentro da Conferência. Doulas, parteiras, indígenas, profissionais da saúde de diversos países da América do Sul vieram à Brasília para mostrar os esforços realizados em suas comunidades na integração das práticas científicas com os costumes ancestrais.

“Muitas parteiras indígenas já foram perseguidas e não queriam mais fazer partos, só se fosse de extrema necessidade”, disse a palestrante mexicana Cristina Galante do Centro de Iniciacíon a Partería de Oaxaca. Segundo ela essa foi uma das razões para a criação do Centro, além da preocupação com o aprofundamento dos conhecimentos que já tinham. Sonia Calva, parteira argentina e coordenadora da escola de Córdoba destacou que a formação das parteiras não está centrada apenas como agente de saúde, mas também como ativista dos direitos humanos.

Outras temáticas serão discutidas durante a Conferência, que segue até o dia 30 de novembro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

Graziela Sant’Anna
Assessoria de Imprensa
III Conferência Internacional sobre Humanização do Parto e Nascimento
61 7815-2412/ / 61 81449782/ 61 8100-2753

Comentários

Sylvana disse…
E eu estou conferindo tudo ao vivo!

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…