Pular para o conteúdo principal

Maternidades particulares oferecem ‘mimos’ para fidelizar pacientes

Só tenho uma coisa a dizer: R-I-D-Í-C-U-L-O!!!!! Depois brigam comigo quando falo que parto virou comércio e produto de elite.... afffff...
Deixei alguns comentários nas partes grifadas....

Serviços extras podem encarecer o parto. Alternativas vão da vacinação do bebê a serviço de manicure e cabeleireiro.

Suíte com sala de estar na Pró-Matre Paulistana 
 
São cerca de nove meses de espera e, de repente, chega a hora de o bebê nascer. Papai e mamãe pegam a mala da maternidade, checam se a carteirinha do convênio médico está em mãos e rumam para o hospital.

Mas se a maternidade escolhida for particular, é bom não esquecer também o cartão de crédito ou o talão de cheques: por mais que a parturiente tenha um bom convênio de saúde, é grande a chance de ela querer dos alguns serviços disponíveis nas grandes maternidades que não são cobertos por nenhuma seguradora.

As opções passam tanto pela modalidade médica quanto por uma série de “mimos”, como ser atendida por uma manicure ou cabeleireiro no próprio quarto do hospital, ter o parto filmado por um cinegrafista ou ficar instalada em uma suíte presidencial com sala de visitas.

Além desses serviços, nas grandes maternidades de São Paulo há uma série de outras opções que também não são cobertas pelos convênios, e que podem interessar a muitos pais. Caso, por exemplo, da opção por aplicar a vacina BCG no bebê ainda no hospital, evitando um posterior deslocamento a uma clínica, ou por contratar uma empresa de congelamento do sangue do cordão umbilical.

Os gastos, na verdade, podem começar antes mesmo do parto: quase todas as maternidades oferecem cursos de preparação para pais e mães, que podem chegar a R$ 300. (É uma pena casais gastarem tanto quando têm opções gratuitas e que os informam sobre coisas realmente importantes!!! Há grupos de apoio como os da Parto do Princípio, que tem sedes em várias cidades brasileiras... Vale a pena conferir:  http://www.partodoprincipio.com.br/conteudo.php?src=gappmenu&ext=html. O meu grupo de apoio também é gratuito, e fica aqui na região de Campinas: http://madreser.blogspot.com)

Do princípio
Logo na chegada ao hospital, pode ser cobrada a taxa de paramentação do acompanhante. Por lei, toda parturiente tem o direito de escolher uma pessoa para estar ao seu lado na sala de parto. Como alguns convênios, às vezes, não incluem este custo no seu rol de atendimentos, as maternidades repassam o custo para a família. (Essa taxa é ILEGAL!!!! Não aceitem!!! E denunciem ao Procon e  à ANS: http://guiadobebe.uol.com.br/parto/lei_do_acompanhante_de_parto.htm)

“Tudo depende muito do convênio de cada paciente. Algumas coisas fazem parte do ‘pacotão geral’, outras têm custo porque varia de acordo com o convênio. Tem convênio que não paga fralda (para o pós-parto), então, a paciente tem que trazer”, explica Márcia Maria da Costa, coordenadora médica da maternidade do Hospital São Luiz, em São Paulo.

Conscientes do risco de o papai desmaiar na hora ‘H’, muitos optam por contratar os serviços de um profissional para filmar e fotografar o parto e os primeiros momentos de vida do bebê. No caso do São Luiz, o hospital tem contrato de exclusividade com a PubliVídeo há 17 anos, que cobra de R$ 390 a R$ 765 para filmar o parto; e de R$ 450 a R$ 1.500 por um book fotográfico do bebê. Outras maternidades indicam empresas que oferecem o serviço, mas permitem que a paciente leve alguém de sua confiança.

Para a mamãe
Outra opção que tem valor cobrado à parte é a de ficar num quarto maior, diferenciado do modelo padrão, com sala de visita, por exemplo. “Temos vários tipos de apartamentos, entre eles as suítes, que são quartos com salas, e temos a suíte máster, que é a presidencial, com 70 m², e além da sala, quarto e banheiro, tem jardim de inverno climatizado”, explica Maria Augusta de Freitas, diretora de Qualidade da Pro Matre Paulista. Para desfrutar deste benefício, a mamãe vai pagar diária de R$ 1.200, mais R$ 450 de honorários do pediatra.

As maternidades ouvidas pelo G1 também oferecem o serviço de concierge – cujo leque de atuação é bastante extenso e pode incluir a ajuda para contratar lembrancinhas para serem entregues aos visitantes, a sugestão de um hotel nas proximidades, a ligação para um táxi ou mesmo a compra de algo fora do estabelecimento.

Se a mamãe foi surpreendida pelo parto e não está com o visual em dia, os hospitais oferecem serviços de beleza terceirizados: no Santa Catarina, também em São Paulo, é possível fazer a mão e pé, cortar cabelo e fazer escova por preços de R$ 25 a R$ 50. No São Luiz, há ainda serviços de maquiagem, massagem e depilação. (Mamãe surpreendida? Só se for mãe cesarista que teve a felicidade de ver seu corpo funcionando antes do bisturi do médico ser ligado!!! Aproveita e vá parir logo!!! A emoção de pôr um filho no mundo é muito maior do que o estado das unhas ou do cabelo!!)

Para o bebê
Com relação ao bebê, os gastos adicionais costumam ser de natureza médica. Os pais podem, por exemplo, contratar uma empresa para congelar o sangue do cordão umbilical. Também é possível dar a vacina BCG e a contra a hepatite B, que são obrigatórias, dentro da maternidade. O preço de cada vacina nas maternidades consultadas gira em torno de R$ 95.

Quanto ao teste do pezinho, há três opções diferentes. Existe o básico, que detecta quatro grupos de patologia e cujo acesso é garantido por lei, portanto, não tem custo. Há, porém, um teste do pezinho que detecta dez tipos de patologias e um terceiro, capaz de prever mais de 40 doenças.

As maternidades garantem que a fonte de renda gerada por esses serviços adicionais não tem impacto importante no caixa do hospital, mas que servem, principalmente, para fidelizar a clientela. Para Márcia, do São Luiz, este é um valor agregado. “Quanto mais facilidades, melhor é. O ganho é indireto.”

“Óbvio que gera receita, mas não é o mais importante. O mais importante é que capta e fideliza mais clientes”, diz Maria Augusta de Freitas, da Pro Matre Paulista. Já Andréa Goulart, coordenadora administrativa do Hospital Santa Catarina, destaca que o hospital é filantrópico. “Não temos serviços que visam lucro. Eles têm que se pagar”.

Opinião médica

O médico obstetra Jorge Kuhn, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), diz que estes serviços adicionais estão longe de ser essenciais, mas que podem ter seus benefícios. “É um benefício emocional, de conforto, mas não essencial. A suíte é um conforto a mais, (...) é uma forma de deixar as visitas à vontade, é uma forma de se preservar no momento da amamentação”, diz. “É um conforto que vale a pena, mas não é essencial.”

Mais importante, na opinião do profissional, seria optar pelas suítes de parto natural. “Suíte de parto é importante, ter uma opção de ter uma banheira, não só para ter o trabalho de parto como para ter o nascimento. (...) As pessoas ficam preocupadas com a cor da roupa do bebê e esquecem que tem coisas mais importantes.” (Aeeeee, grande JK!! É lóóógico que a qualidade do nascimento, o atendimento humanizado, o protagonismo feminino sempre serão mais importantes do que o enfeite de porta ou o papel de parede da suíte de parto... Pena que poucas mulheres se dão conta disso!)

Quanto ao congelamento do cordão umbilical, a médica pediatra Sandra Regina de Souza, coordenadora da área técnica de Saúde da Criança do Estado de São Paulo é crítica: “as pesquisas estão engatinhando”, lembra. “A menos que a pessoa tenha na família uma doença grave, degenerativa e já tenha algum indício de que a terapia gênica vai poder ajudar.”

Quanto às vacinas, Sandra destaca que tanto a BCG quanto a Hepatite B integram o calendário oficial e, portanto, podem ser aplicadas gratuitamente em qualquer posto de saúde. “Sempre digo para os pais: ‘tem na rede pública, é de graça, é a mesma vacina. Por comodidade, pode fazer aqui (no hospital)’.”

Já em relação ao teste do pezinho, a pediatra recomenda, caso os pais possam e queiram pagar, o intermediário, que detecta dez doenças. “Fazer a fase três, que é o que é gratuito, que já são várias doenças, seria suficiente. Tendo a possibilidade, fazer aquele até dez doenças (..), mas é super opcional.” O mais completo, que detecta 42 patologias, seria dispensável, na opinião de Sandra, por serem “doenças de baixíssima prevalência”, ou seja, cuja incidência é muito mais rara.

*Fonte: G1

Comentários

Eu vi essa reportagem e achei muito ridiculo tbm! Nada a vê, que façam salas de parto maravilhosas então, não essa bixisse.
é disse…
Deviam fazer as "salle sauvage" como o Odent fez lá na França...não essas baboseiras...
manu maximo disse…
sim mas nem toda mulher tem estrutura anatomica corporal suficiente para se ter um bebe de parto natural,e eu não sou contra,se eu tiver dinheiro vou na mais chic,meu filho merece o melhor antes mesmo de nascer,quanto mais quando nascer ;) quem quiser que ache ruim.

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…