Pular para o conteúdo principal

Parto normal depois de cesárea é opção sim!

Novas diretrizes internacionais apontam que procedimento é seguro, mas ainda não vale para todos os casos.

De acordo com novas diretrizes anunciadas pelo Colégio Americano de Ginecologistas e Obstetras – a sociedade americana de obstetrícia e ginecologia – mulheres que passaram por uma cesareana podem ser candidatas a partos normais em gestações futuras.

“Isso enfatiza mais uma vez que um trabalho de parto após uma cesareana é uma opção importante para a maioria das mulheres”, disse um dos autores das novas diretrizes, o Dr. Jeffrey Ecker, especialista em medicina materno-fetal do Massachusetts General Hospital de Boston.

Alguns anos atrás, acreditava-se que uma vez que a mulher tivesse passado por uma cesareana, qualquer parto subseqüente deveria seguir o mesmo procedimento. Mas, com as mudanças em procedimentos cirúrgicos e crescentes evidências que sustentam a possibilidade de parto normal após cesárea, as atitudes começaram a mudar.

Nos anos 80 e 90, porém, com o aumento desse tipo de parto, também aumentaram as complicações relacionadas ao procedimento. Devido a preocupações em relação às complicações e possíveis conseqüências legais delas, o índice de partos vaginais após cesareanas caiu drasticamente de 28,3% em 1996 para 8,8% dos partos em 2006. Mas, os autores das diretrizes apontam que cesareanas sucessivas também têm um risco de complicações tanto para a mãe quanto para o bebê.

“Estudos mais recentes sustentam a idéia de que muitas mulheres podem ter partos normais bem-sucedidos depois de passarem por uma cesárea”, explicou o Dr. William Grobman, outro autor das novas diretrizes e professor associado de obstetrícia e ginecologia Escola de Medicine da Universidade Northwestern, em Chicago.

Em março, um comitê do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos chegou à mesma conclusão, afirmando que ter passado por uma cesareana no passado não obriga a mulher a seguir o mesmo procedimento em partos futuros.

As novas diretrizes recomendam que mulheres que passaram por uma cesárea com incisão uterina horizontal baixa (incisão transversal baixa) sejam orientadas a passar por parto vaginal se assim desejarem.

Segundo as novas diretrizes, entre 60% e 80% das mulheres que tentam parto normal após ter feito uma cesareana têm o parto bem-sucedido. Grobman afirmou que tais percentuais são baseados em números populacionais e que para algumas mulheres, estes índices podem ser ainda mais altos.

Publicadas na edição de agosto da revista especializada Obstetrics and Gynecology, as diretrizes apontam que também podem ser candidatas a parto normal após cesareana mulheres que já passaram por duas cesáreas usando a incisão transversal baixa e mulheres que passaram por uma cesárea com incisão transversal baixa e estão grávidas de gêmeos.

Algumas gestantes, no entanto, não são candidatas ao parto vagina após cesareana. Dentre elas estão aquelas que tiveram uma incisão uterina vertical ou complicações sérias na gestação, como placenta prévia, disse Grobman.

“Em vez de dar uma instrução do tipo ‘isso pode’ ou ‘isso não pode’, os médicos precisam oferecer informações sobre os possíveis benefícios e riscos, dando às mulheres a autonomia de tomar suas próprias decisões”.

*Fonte: IG

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…