Pular para o conteúdo principal

Proposta de Protocolo Humanização do Pós-Parto

Achei bem bacana! =)


Elaboração coletiva e multidisciplinar de parte da turma do Módulo Pós-Parto do Curso Humanização online 2007/2008

Autoras: Maru Drexler, María Vergara, Cristina Toledano, Jesica Sanchez,
Lisandra Pinheiro, Tanila Glaeser, Angela Mattos e Adriana Tanese Nogueira.
Coordenação e edição: Adriana Tanese Nogueira


A equipe de saúde deve estar capacitada para dar apoio e cuidados individualizados à puerpéra e à sua família, investindo sobretudo na mãe que deve ter condições para se dedicar exclusivamente ao bebê e à sua recuparação. A ação educativa dos profissionais consiste também em dar informações a respeito dos cuidados pessoais de higiene, de amamentação e de contracepção. É preciso adotar estratégias para a inclusão do pai na rotina com os cuidados ao bebê.

Manter esse tipo de atenção durante os primeiros 3 dias, observando a condição física e emocional da mãe. É importante conversar com ela sobre seu novo momento de vida, dar-lhe apoio, acolhimento, escuta, disponibilidade. Novas consultas devem ser realizadas após 15, 30 e 45 dias.

É fundamental oferecer auxílio para a nova mãe no cuidado com a casa, com ela mesma e com o bebê. Pode ser uma ajudante doméstica, uma doula pós parto, uma amiga, a avó do bebê, etc. Apoio e suporte contribuem para prevenir a depressão pós parto, a mulher precisa ter condições para também cuidar de suas coisas e atividade. Grupos de encontro de puerperas podem ser organizados para manter uma ação educativa e de suporte psicológico durante pelo menos os primeiros seis meses de vida do bebê. Os temas do grupo devem ser conduzidos por profissional de saúde competente e com training em humanização.

O companheiro deve poder oferecer apoio emocional e dividir as responsabilidades domésticas e de cuidado com o bebê, propiciando o vínculo mãe-bebê e do bebê com ele mesmo. O resto da família, incluindo avó e amigas, devem dar continuidade à postura do marido, cuidando da comida e das demais necessidades, para permitir que ele possa estar mais próximo da mãe e do bebê.

A mulher necessita descanso e a companhia de quem pode apoiá-la e ajudá-la com os cuidados aos recém-nascido. A família, em especial o marido, cumpre esse papel. Para que o pós-parto seja positivo, do ponto de vista psicológico e consequentemente também prático, é muito importante sentir-se segura e acompanhada.

A nova mãe deve saber da importância de cuidar-se, descansar, priorizar o vínculo com o bebê para connhecê-lo, dando-lhe tudo o que necessita, especialmente calor, acolhimento, contato pele-a-pele, o som da batida de seu coração e leite materno. Precisa se dar tempo para ir conhecer seu bebê, pois cada bebê é único e manifesta suas necessidades de distintas maneiras. É importante conversar com o bebê e ir decodificando cada dia sua linguagem, desfrutando de cada momento com ele. Juntos vão aprendendo a respeitar-se e a entender-se.

A mulher deve saber que o pós-parto é uma etapa na qual ela vai precisar de ajuda e é importante ela ir pensando antecipadamente como irá se organizar. Deve saber que muitas vezes pode não sentir-se muito bem emocionalmente. É normal ter sentimentos contraditórios. O corpo também pode doer e ela pode sentir-se muito cansada, muito exigida. Mas deve lembrar-se que isso tudo é transitório e que a ajuda que ela deve buscar tornará essa fase seja mais fácil, reverberando em maior bem estar dela e de seu bebê - enfim, de sua família.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…