Pular para o conteúdo principal

Recuperação pós-cesárea

Todo mundo aqui que sou doida por parto, principalmente parto natural, lindão, do jeito que tem que ser. Mas nem sempre o trabalho de parto evolui do modo que queremos, e muitas vezes as gestantes acabam indo pra cesárea mesmo. Eu mesma acompanhei nesse final de semana um caso assim... e aí, o que fazer? Quais orientações podem ser dadas pras mães?
Pois bem, encontrei algumas dicas bacanas...

O parto cesáreo é uma cirurgia abdominal de grande porte . As novas mamães precisam e merecem ter um apoio a mais durante esse período especial de parto e recuperação. Cada mulher que passa por uma cesariana, planejada ou não, reage à cirurgia de uma forma diferente. Algumas mulheres se recuperam fisicamente com muita rapidez, outras relatam que a recuperação levou semanas e até meses. Evite colocar-se limites de tempo. 
Emocionalmente, os sentimentos das mulheres em relação à cesárea variam em amplitude, desde aceitação até decepção ou profunda tristeza. Algumas mulheres necessitam do suporte emocional tanto quanto do suporte físico para uma recuperação saudável. Cada mulher se recupera e assume seu novo papel de maternidade em seu próprio ritmo. Com tempo, você retomará seu nível de energia e sensação de bem-estar.

Para Aliviar a Dor e Ajudar na Recuperação Física

No Hospital
* Solicite assistência física, e mantenha o botão para chamar as enfermeiras em fácil alcance.
* Tome medicação para dor o quanto for necessário para seu conforto. Tente evitar medicações para dor que contenham codeína pois estas causam constipação, tornando difícil evacuar depois da cirurgia.
* Se possível, consiga um quarto privativo para que alguém da família possa ficar com você.
* Use travesseiros para apoiar seu abdome quando virar-se, sentar-se, tossir, e quando amamentar o bebê.
* Descanse tanto quanto possível e limite as visitas. Durma quando o bebê dormir.
* Balance-se numa cadeira de balanço assim que possível depois da cirurgia - para acelerar a recuperação e reduzir os gases.
* Faça pequenas caminhadas.
* Coma alimentos nutritivos e beba muito líqüido. Evite bebidas geladas e gasosas.
* A cirurgia irá deixar seu trato digestivo lento. Para ajudar na constipação, tente um composto a base de fibras, não um laxativo.
* Cada vez que se colocar de pé depois da cirurgia, alongue-se para descomprimir os músculos estomacais e reduzir as aderências.

Em casa
* Tenha vários locais organizados para a troca de fraldas assim poderá trocar seu bebê mais facilmente.
* Deixe outras pessoas fazerem os serviços domésticos como cozinhar, limpar e lavar roupas.
* Examine a incisão diariamente, ou peça para alguém fazê-lo, atentando para vermelhidão, que pode ser sinal de infecção.
* Tenha uma lista das coisas a serem feitas, assim quando as pessoas perguntarem, você pode se lembrar do que precisa ser feito.
* Cuide somente de você mesma e de seu bebê.
* Lembre-se de não levantar nada mais pesado do que seu bebê.
* Fique de roupas de dormir, assim as pessoas se lembrarão que você está se recuperando de um parto e uma cirurgia.
* Por outro lado, algumas vezes tomar banho e vestir-se realmente faz maravilhas psicologicamente.
* Mesmo no hospital, vestir suas próprias roupas pode ajudar.
* Mantenha o bebê perto de você durante a noite assim não precisará levantar-se.
* Tenha uma cesta que você pode carregar facilmente com lanchinhos nutritivos, kit para unhas, loção hidratante, um livro e outras pequenas coisas necessárias.
* Coma bem e beba água abundantemente. Tenha uma jarra de água ou suco perto de você.
* Se você tem outros filhos, peça assistência de familiares e amigos para cuidar deles.
* Aumente as atividades gradualmente.

Para estimular a recuperação emocional
* Mantenha seu bebê próximo de você tanto quanto possível e esforce-se para conhecer seu novo bebê.
* Amamente seu bebê para estimular os laços afetivos e liberar hormônios maternais benéficos.
* Compartilhe seus sentimentos com outras pessoas e fale sobre sua recuperação tanto quanto sentir necessário.
* É normal experimentar uma grande gama de emoções incluindo alívio, alegria, tristeza, raiva e sentimentos de perda ou fracasso.
* Escreva a história do nascimento do seu bebê.
* Escreva cartas para o hospital e seu médico, explicando o que você gostou e não gostou no seu parto - você pode enviá-las ou não, mas pode ser muito útil colocar seus pensamentos no papel.
* Busque ajuda de fontes disponíveis tais como grupos de apoio à amamentação, a pais e a mulheres que passaram por cesarianas
* Leia livros sobre parto natural, parto cirúrgico e parto vaginal depois de cesárea (VBAC em inglês).
Há muitas razões pelas quais um parto pode ter terminado em uma cesárea. Se planeja ter mais filhos, é importante saber que é muito provável que você possa ter um parto normal da próxima vez. Quando estiver pronta para informar-se sobre VBAC, o ICAN pode ajudá-la a encontrar a informação e o apoio que precisa.

Comentários

Pris Gger disse…
Rê, eu sempre quis um parto normal. Lutei por ele a gravidez inteira, cuidando do peso, das taxas, da pressão, de tudo o que poderia dificultar esse parto. Porém, com 40 semanas, não havia nenhum sinal... sei que poderia esperar ainda mais 2 semanas, mas a pressão do maridão, da família e dos amigos foi demasiada grande para eu suportar... acabei fazendo a cesárea com 40s2d. Confesso que foi horrível... a cirurgia em si, foi rápida, mas o modo como se dá, o tratramento dos médicos durante a cirurgia, a desilusão de não ter tido o parto dos meus sonhos acabou comigo. Chorei muito durante a cirurgia... estava muito triste. Depois, é claro, botei a cabeça no lugar, afinal, meu filho veio lindo, super saudável, nada a reclamar... só agradecer mesmo a Deus. Porém, lá no fundo do peito, mesmo tendo passado mais de 1 mês do parto, ainda sinto a frustração de não ter resistido mais... Enfim, obrigada pelo post.. queria ter lido ele antes... mas tenho certeza de que valerá pra muita gente. Bjsss

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…