Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Falta de informação e gestação...

Vocês já observaram como muitas mulheres sabem muito pouco sobre seus corpos, sobre gestação, sobre o processo de parir e maternar?? E que muitas vezes a pouca informação é toda baseada em mitos, e histórias negativas?
Essa semana me vi tendo uma conversa com uma mulher, que é mãe de duas meninas, empresária. Gente com entendimento. Mas quando o assunto parto veio à pauta da conversa, me vi tendo um diálogo mais ou menos assim:
ELA: "Você acha que se eu tivesse encontrado antes um trabalho tipo o seu de doula, eu ia aguentar ter um parto normal? Porque eu quase morri de tanta dor!"
EU: : "Como foi o seu trabalho de parto?"
ELA: "Fui pro hospital assim que comecei a ter dor e fiquei deitada porque o médico mandou ficar assim.... mas mesmo deitada a dor era muito forte. Fiquei sozinha, de jejum, e não dilatei nada...até q uma hora não aguentei mais e pedi a cesárea"
EU: "É... acho q uma doula ia ajudar um bocadinho...rss... Mas trabalho de parto demora m…

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Teleconferência Fiocruz: "O desdesign da mamadeira"

Meninas!! 
Compartilho com vocês a palestra da Cristine Nogueira Nunes, realizada pela Rede RUTE- FIOCRUZ . 
Vale a pena assistir e divulgar!

Assista AQUI!



Mais informações sobre a palestrante: http://www.mamadeiranuncamais.blogspot.com/

Principais pretextos para cesariana sem respaldo científico

Circular de cordão, gestação prolongada, pouco líquido, bebê grande, prematuridade, bebê com baixo peso e placenta envelhecida são os principais motivos que levam diariamente milhares de mulheres a serem submetidas à cesáreas sem a menor necessidade.
Querem saber mais sobre esse assunto? A Dra. Melania Amorim acabou de publicar um artigo muito bacana no Guia do Bebê...



Parto Normal vs. Cesárea: principais pretextos para cesariana sem respaldo científico
Nos artigos anteriores desta série, apresentamos a magnitude do problema das cesarianas no Brasil e comentamos que grande parte dessas cesarianas são eletivas (fora do trabalho de parto) e realizadas por pretextos que não encontram suporte na literatura científica (1-5). No presente artigo iremos discutir alguns desses pretextos.

Circular de cordão
– a possibilidade de se detectar circular de cordão pela ultrassonografia tem levado a muitas indicações desnecessárias de cesariana em nosso país.  Continue lendo...



Evento pró-parto normal em Americana

Galerinha! É com prazer que convido a todos para um evento bonitinho feito pela Gravidinha Moda Gestante! Faremos uma tarde de conversa sobre parto, nascimento, maternidade consciente... O evento será gratuito!! Contamos com a presença de vocês!!

"Mas tinha que respirar".... Vídeo: parto domiciliar!

Vídeo lindooooooooooo!

Planeta Extremo e Parto

Vocês assistiram o Fantástico do último domingo?? Estreiou uma série chamada Planeta Extremo, que mostrará o reporter Clayton Conservani por quatro desafios extremos ao redor do mundo. O primeiro episódio foi de uma maratona na Antártica, sob condições climáticas intensas ( tempestades de neve e temperaturas de - 30 graus!! Ui!!).
E o que essa série tem a ver com esse blog?? Talvez a primeira vista não tenha a ver mesmo... Mas assistindo ao quadro, me vinha só uma idéia a mente: "isso é igual trabalho de parto!!"..
Explico, já fazendo uma relação com o tema central deste blog: para conseguir completar a maratona, Clayton Conservani começou a se preparar para o desafio físico e emocional que logo mais enfrentaria. Foram quatro meses de preparo intenso, junto de Bernardo Fonseca (também competidor dessa maratona). Corrida de longa distância, pilates, yoga, musculação, ciclismo e até treino dentro de um frigorífico!!! (a preparação física e emocional é muito importante, para …

Fatores que "travam" o parto

Ano passado, navegando pelas páginas do orkut encontrei um post onde uma moça havia postado uma longa lista de motivos que levam a mulher a travar durante o trabalho de parto. A lista tinha sido feita pela parteira dela. Não lembro o nome da moça e nem da comunidade, mas fuçando agora aqui em meus arquivos encontrei a listinha que eu esqueci que havia anotado..  São itens que, na minha opinião, ajudam a mulher se preparar melhor.. assim como também ajudam aquela mulher que travou a entender melhor o que aconteceu... Antes de postar a lista, devo lembrar que durante o trabalho de parto produzimos a ocitocina, hormônio responsável pelas contrações uterinas, descida do leite e facilitador do vínculo mãe e bebê. A secreção deste hormônio depende de vários fatores, entre eles a tranquilidade materna... Quando a mãe não está tranquila, quando sente ansiedade, medo ou tensão, seu corpo produz adrenalina.. que é um hormônio naturalmente secretado quando estamos em alguma situação de perigo e qu…

Patriarcado, repressão sexual e partos dolorosos

Repassando um texto bacana da Laura Gutman.... com tradução meia-boca do Google!

Nós mulheres ficamos vários séculos de história mergulhadas na repressão sexual. Isto significa que temos considerado o corpo como baixo e lascivo, os impulsos sexuais malignos e todas as sensações corporais, indesejáveis. Quando é que aprendemos que não há lugar para o corpo no prazer? No exato momento do nascimento. Segundos após o parto já desejamos ser tocados. Perdemos o contato que era contínuo no paraíso uterino. Nascemos de mães reprimidas por gerações e gerações de mulheres ainda mais reprimidas, rígidas, congeladas, dura, paralizadas e temerosas em tocar. Então o instinto maternal se deteriora, se perde, se torna turvo.

Neste contexto, as mulheres com mais de séculos de patriarcado, longe de nossa harmonia interior, não querem parir. É lógico, porque os nossos úteros estão duros. Nosso ventre está acorrentado e nossos braços nos defendem. Não temos sido abraçadas e embaladas por nossas mães, porq…