Pular para o conteúdo principal

Fatores que "travam" o parto

Ano passado, navegando pelas páginas do orkut encontrei um post onde uma moça havia postado uma longa lista de motivos que levam a mulher a travar durante o trabalho de parto. A lista tinha sido feita pela parteira dela. Não lembro o nome da moça e nem da comunidade, mas fuçando agora aqui em meus arquivos encontrei a listinha que eu esqueci que havia anotado.. 
São itens que, na minha opinião, ajudam a mulher se preparar melhor.. assim como também ajudam aquela mulher que travou a entender melhor o que aconteceu...
Antes de postar a lista, devo lembrar que durante o trabalho de parto produzimos a ocitocina, hormônio responsável pelas contrações uterinas, descida do leite e facilitador do vínculo mãe e bebê. A secreção deste hormônio depende de vários fatores, entre eles a tranquilidade materna... Quando a mãe não está tranquila, quando sente ansiedade, medo ou tensão, seu corpo produz adrenalina.. que é um hormônio naturalmente secretado quando estamos em alguma situação de perigo e que age em nosso corpo para que possamos fugir ou lutar contra essa situação. A adrenalina não é ruim, tanto que ela está presente no trabalho de parto também... mas só no final do trabalho de parto!! É ela que faz a mulher ter se sentir renovada, forte, corajosa para expulsar seu bebê. Porém.. se a adrenalina aparece DURANTE o trabalho de parto acaba competindo com a ocitocina.. e faz com que o processo se lentifique e muitas vezes trave... A mulher acaba se tornando um cadeado, trancada nela mesma!

Conheça agora alguns motivos que podem levar seu corpo a produzir adrenalina durante o trabalho de parto fazendo com que você trave:

- Frio
- Mau Humor
- Medo (do parto, da dor, do expulsivo, de não ser boa mãe, de ter que cuidar de um bebê, do marido não gostar mais de você, etc, etc etc)
- Auto-piedade
- Dificuldade de mudar uma situação que está te deixando de saco cheio
- Distrações (dificulta a concentração em si mesma)
- Falta de privacidade (se sentir observada por estranhos).
- Vergonha (de gemer, chorar, gritar, se movimentar, ou qualquer outra coisa)
- Excesso de toques (sejam vaginais ou não)
- Excesso de expectativa
- Preocupação excessiva se saberá qual a "hora certa" de ir para o hospital.
- Se chega muito cedo ao hospital (no início do trabalho de parto)
- Preocupação excessiva com outras pessoas (por ex, filho que ficou em casa...) 
- Conversas excessivas (incluindo ter que ficar respondendo a muitas perguntas).
- Se sentir dependente dos outros.
- Ambiente muito iluminado
- Ambiente muito barulhento
- Necessidade de estar "alerta" a tudo...
- Se você tem muita coisa na sua cabeça e não consegue relaxar e se entregar o suficiente para atingir o nível instintivo.

Talvez existam ainda muitos outros fatores!! Com alguma de vocês foi assim? Teve algum outro motivo? Comente!!!!


PS: Se alguém conhecer o post do orkut que tinha essa lista, por favor me avise para colocar o link  como fonte!
[UPDATE - 06/07/2011 - A leitora Talita, enviou o link original da lista! Está aqui! Obrigada!!!]

Comentários

Sara Rodrigues disse…
Re a presença de uma pessoa estranha na hora do parto tmb trava foi meu caso, falta de apoio do companheiro tmb
Acho que a pressão externa também. Quando a gente banca um parto normal a gente tem que lidar com um pouco de pressão interna, claro, mas às vezes uma palavra usada de forma errada pelo profissional que está acompanhando o parto pode dar à essa pressão uma força sobrehumana: em um parto que acompanhei, a enferemeira disse "Faça força agora porque essa é a hora em que o bebê mais sofre!" Como a gestante havia se preparado para o parto e sabia o que queria dizer sofrimento na linguagem médica, achou que o bebê morreria sufocado no canal de parto e começou a chorar achando que ela não conseguiria salvar a vida do filho, que, na verdade, não estava correndo risco de morte! Eu não sei se eu estou errada, mas eu considero o silêncio absolutamente fundamental na hora do expulsivo, não gosto nem de dizer "força", acho que é um momento de concentração, da mulher com ela mesma e estar ali tem bastado.
Talita disse…
Rê,
Foi lá na GPM.

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=547550&tid=5544098520473628713&na=4

Bj.

Talita
Evellyn Luz disse…
Responder a tantas perguntas foi o ó, e eles ainda falando vc tem q me responder no meio de uma contração era de mata!! coisinhas basicas como silencio, respeito, privacidade são basicos!! Por isso que no proximo qro PD com certeza!!
reflexão disse…
Seu blog e´o máximo!
As informações são muito importante.
Parabens

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…