Pular para o conteúdo principal

Sinais de trabalho de parto

Vejo muitas mulheres indo aos hospitais achando que estão em trabalho de parto, e quando chegam lá são mandadas de volta para casa. Nem todo obstetra explica quais são os sinais que a gestante terá e isso a deixa confusa e insegura, fazendo com que acabe indo pra Maternidade muitas vezes sem necessidade.
Então resolvi falar um pouco sobre os sinais de trabalho de parto, e qual é a hora de ir para o hospital.
Antes de tudo, é importante avisar que muitas mulheres possuem pródromos, ou seja, sinais de que o parto está próximo, e que muitas vezes são confundidos com trabalho de parto efetivo. Nos pródromos, a mulher pode sentir dores em lombar e baixo ventre, perceber a barriga mais baixa, ter aumento de secreção vaginal (que muitas vezes é confundida com ruptura da bolsa) e também tem as contrações uterinas, que apesar de incomodarem não tomam ritmo e somem depois de um tempo. É uma fase que gera ansiedade, e faz com que muitas vezes a mulher vá e volte do hospital várias vezes! É o famoso falso trabalho de parto... e por isso é importante se informar e saber quais são os sinais de trabalho de parto de verdade!! Assim, sua identificação será mais fácil!

Bom, temos dois sinais básicos: 1) o rompimento da bolsa e 2) presença de contrações uterinas. A perda do tampão mucoso não é um sinal de trabalho de parto. É apenas um aviso de que o nascimento está próximo, e o bebê pode nascer no mesmo dia ou dali a 15 dias.  Existem  mulheres que nem percebem que estão perdendo o tampão, e outras ainda que só vão perder durante o trabalho de parto. Ou seja, não é um sinal muito confiável.
Mas voltando aos sinais básicos. A bolsa pode se romper antes, durante ou só no final do trabalho de parto. E pode ser uma ruptura pequena, com pouca perda de líquido ou uma ruptura de lavar o chão!! Todas essas situações são normais. Se ela se romper antes, não há motivo para desespero. O que você deve fazer é avaliar esse líquido.  O líquido da bolsa tem um aspecto de água de côco... e um cheiro que lembra água sanitária. Se o seu líquido estiver assim, ótimo! É aguardar o trabalho de parto se iniciar ou engrenar (quando engrena, as contrações ficam mais intensas..o que é esperado!!).

Você só deve ir para maternidade  se o exame de Streptococcus  (o exame do cotonete) tiver dado positivo, para começar a receber antibiótico preventivo... Ou então, se o seu líquido estiver meio esverdeado. Isso é sinal de que o bebê expeliu mecônio (primeiro cocô). O mecônio pode ser liberado quando o bebê está bem maduro ou então quando algo não está bem. Por isso a ida à maternidade é importante, para os médicos avaliarem qual é seu caso.
Mas se o líquido estiver clarinho e se o seu exame deu negativo, é só relaxar..... Geralmente, o bebê vai acabar nascendo nas próximas 24h! Enquanto isso não acontece, mantenha-se hidratada! Beba bastante líquido, alimente-se, descanse e não introduza nada na vagina... para evitar chance de infecção.
Ah, vale a pena lembrar que não existe parto seco! Quando a bolsa se rompe, sai um tanto de líquido, mas quando a cabeça do bebê encaixa, acaba depois funcionando como uma rolha... Mantendo assim um nível de líquido ali no útero. E se você continuar se hidratando, melhor ainda! Pois parte do líquido amniótico é xixi do bebê, e se ele continuar recebendo bastante água, vai continuar fazendo xixi e o líquido vai sendo reposto.

E agora, vamos falar das contrações. As contrações uterinas aparecem ainda durante a gestação, como um treinamento que o útero faz. Essas contrações são chamadas contrações de Braxton Hicks, são indolores e bem leves., e é comum que esse endurecimento ocorra em partes isoladas da barriga. Mas no final da gestação, quando o bebê tiver mesmo que nascer, elas se modificam e a gestante logo percebe essa alteração. As contrações de Braxton dão lugar às contrações de parto, que aos poucos vão se tornando mais intensas e duradouras. 
A gestante vai perceber que a barriga começará a endurecer , e a mãe perceberá que isso acontecerá numa certa frequência e duração. Pode começar num ritmo bem bagunçado... uma vez agora, depois de novo daqui meia hora... aí vem outra depois de 5 minutos... pára tudo por 1 hora.... durando 10 segundinhos...depois 30 segundos... aí depois 40...  Ou então, pode perceber que já está mais ritmada, vindo em intervalos  e duração regulares. Ambos os casos são normais, e sempre elas terão um padrão de onda... começam devagarinho, progridem até atingir um pico, e depois diminuem até sumir. E será sempre assim... durante todo trabalho de parto... ondinhas, ondas, ondonas! rs
E as contrações podem ou não vir acompanhadas de dor. E essa sensação dolorosa é individual, ou seja, cada mulher sente de uma forma. Geralmente se inicia como uma cólica menstrual, vindo em forma de cinta, pegando a lombar e pé da barriga. Mas pode doer só lombar, ou só pé da barriga, ou vagina, ou parte interna das coxas, ou pode só doer no final do trabalho de parto, ou então nem doer. Por isso o importante mesmo é se atentar para as contrações, as barrigas duras.. e não para a presença de dor.
Quando as contrações aparecerem, não precisa de desespero. A orientação para o rompimento da bolsa continua valendo para aparecimento das contrações: mantenha a hidratação, alimente-se e DESCANSE!!! Pois não sabemos quanto tempo irá durar o trabalho de parto, e para isso é importante que a mãe guarde energia!
O tempo vai passando.... as contrações devagarinho vão dilatando e afinando o útero.... e quando atingirem uma frequência de 5 em 5 minutos, espera-se então que o trabalho de parto esteja instalado e engrenado! Nesse momento, você já deve estar na fase ativa do trabalho do parto. Ou seja, é a fase onde o repouso deve ficar de lado e a gestante deve começar a ajudar seu corpo... posição de cócoras, caminhar, sentar, usar o chuveiro...enfim, dar movimento e conforto para seu corpo nessa hora é fundamental!!
"E qual hora devo ir para maternidade?". O ideal é ir numa fase onde o trabalho de parto esteja bem ritmado, e um pouco antes da fase de transição, que é uma fase onde a mulher precisa de mais apoio e as contrações ficam beeeem juntinhas, e muitas vezes a vontade de empurrar aparece. Um limite bacana para saber se chegou ou não a hora, é esperar essas contrações ficarem numa frequência de 3 a cada 10 minutos, e durando cada uma por volta dos 60-90 segundos, por pelo menos 1h direto.... aí já pode arrumar as malas e ir para maternidade, pois seu bebê deve nascer em breve.
Vale a pena ressaltar que MUITAS mulheres tem trabalhos de parto fora desse "padrão"... Então o importante mesmo é a mulher prestar atenção em seu corpo, e nas dicas que ele dá. O corpo fala e se você souber acalmar sua ansiedade, conseguirá ouvi-lo!!
Um beijo,

Comentários

Minha Maria disse…
Adorei Re! Muito esclarecedor! Eu não senti nada, mesmo perdendo líquido antes do primeiro parto.
No parto da Maria a cesárea estava marcada para as 19 hs, quando foi 16 hs internei e tomei soro na veia com "alguma coisa" xilina, rs Não lembro...se lembrar te falo.
Mas sei que era por causa do exame de urina ter detectado infecção, mas uma infecção leve, normal-diz o GO.
E quando estava tomando o soro senti uma dor fortíssima no pé da barriga, e a barriga ficou dura por uns 10 minutos seguidos, depois melhorou.
Fiquei com medo na hora, achei que pudesse ser a bebê querendo PN. Seria ótimo se fosse, né?
Bejos
Bina USA disse…
Esse post vou imprimir e colocar na porta da geladeira!Mesmo que seja cedo ainda...eh bom lembrar sempre!hiih
Tenho uma duvida com relacao ao parto, mas acho que vou mandar pro seu email pra nao passarmos vergonha, tamanha a minha ignorancia!hihi
Bjs mil!
Evellyn Luz disse…
Eu senti tudo isso graças a Deus!! ;)
Ahhh e depois que a bolsa rompe, as contrações tendem a ficarem mais doloridinhas... mas não significada nabda e o TP pode durar um bom tempo ainda...
Que legal esse post !!!Super esclarecedor e tranquilizante !!!Seu blog vai me ajudar muito numa segunda gravidez !!!!Adoro e indico !!!!Bom final de semana ,bjo !!!
Éricka disse…
No meu parto senti tudo misturado... Hahahah!
Bjos!
nossa Re, revivi por instantes meus dois partos, parecia que estava entrando em trabalho de parto novamente, muito bom e instrutivos seus comentários, relatos importantes para as principiantes.
beijos
Re relato de grande ajuda, vou avisar a Babi para ler e ficar atenta aos sinais, foi como se eu estivesse me vendo na hora de meus partos, muito bons mesmo seus comentários, beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…