Pular para o conteúdo principal

Relato: PN hospitalar, 9 anos depois de uma cesárea prévia

Mais um relato de parto normal após cesárea!!! Agora da querida, Sara Dusso!

Nascimento Clarinha

Começo meu relato contando um pouquinho sobre meu parto anterior, pra vocês entenderem a opção pelo parto normal desta vez.
Tinha apenas 18 anos e fui induzida a fazer cesárea, já que estava optando pelo parto normal , pois a médica disse que só faria meu parto se fosse cesárea, parto normal seria com plantonista. Como assim? Vc passa a gestação inteira se consultando e sendo orientada por uma médica e acaba nas mãos de um plantonista que nunca te viu?
Estava com 40 semanas, disse que meu colo estava alto e que não tinha dilatação, provavelmente não iria evoluir . Logo após o parto ela ainda veio me dizer: "Tá vendo ainda bem que não esperou o parto normal pois sua filha iria se enforcar com o cordão" .
Tive um parto complicado, minha filha não queria sair, conforme a médica mexia nela, ela virava na minha barriga, acho que querendo dizer a médica q não era a hora dela. Depois de muito tentar , minha médica puxando, outro médico empurrando e a enfermeira praticamente montada em cima de mim empurrando minha barriga, usaram fórceps e pra ajudar ainda machucaram a minha baixinha . O apgar, nota de avaliação dada ao recém nascido no 1º e 5º minuto de vida, foi 2. Gi nasceu pretinha e com a cabeça funda devido ao fórceps, pois é, cesárea e ainda usaram fórceps... Recuperação até que foi tranqüila apesar das limitações devido ao corte. Passei estes 9 anos acreditando que isso apenas foi um fato difícil mas que terminou bem apesar de tudo, claro encarava a cesárea como natural. Mas o que há de natural num parto forçado? Onde nem você nem bebe estão prontos para a experiência?
Pois bem... 9 anos depois engravidei novamente , mas tive um aborto retido que resultou em uma curetagem. Neste momento meu desejo por ter outro filho já era grande e 7 meses depois estava eu gravidíssima!
Renata e eu temos uma amiga em comum, a Mari, amiga esta que me ajudou demais a entender algumas coisas relacionadas ao parto humanizado, já que ela havia feito o seu domiciliar, e levanta a bandeira á favor do mesmo. Mari me colocou em contato com a Re, que a principio me indicou a Dra. Mariana. Comecei meu pré-natal e mais pra frente entrei em contato novamente com a Re pra tirar algumas duvidas sobre o trabalho dela, mas não me posicionei qto a contrata-la.
Dra Mariana me orientou a ter uma doula lá pelo 7º mês de gestação , mas neste momento já estávamos muuuito apertados financeiramente, e deixei passar.
Enfim cheguei a 40 semanas de gestação
Sem a minha doula , rsrs, colo alto, sem dilatação (saí do consultório com uma voz que me dizia, “vai ser igual da sua primeira filha”) mas resolvi esperar afinal minha GO estava me orientando desde o princípio que poderíamos esperar até 42 semanas.
O problema foi a pressão, toooooodo mundo ligando e perguntando: E AI????. Gente isso estressa qualquer gestante ansiosa , e comigo não foi diferente .
Estávamos monitorando: cardiotocografias e ultrassons. Tudo certinho e mais que perfeito com a minha mais nova princesinha, não tínhamos que nos preocupar, era só esperarmos o momento certo dela querer vir ao mundo.
Na quinta feira de madrugada (02/02/2012) comecei a sentir contrações (achava eu que havia chegado a hora) mas olha a falta que uma doula faz.. rsrs.. eram apenas pródomos. Passei a madrugada toda monitorando e me esqueci das recomendações : dormir, descansar, banho pra ver se passava a dor... SOFRI A TOOOOAAAA . De manha fui ao pronto socorro, cheia de sono, peguei um plantonista q me internou assim q viu 2 cm de dilatação, fiquei o dia todo no hospital, recebendo ligações todo minuto e não saí dos 2 cm. Minha médica chegou no final da tarde pois estava em outro parto o dia todo... constatou que eram pródomos e me mandou pra casa... kkk... bem feito pra mim né ? Me fez ligar do celular dela pra Re.. kkkk.. Foi onde negociamos e a Re foi um amor se colocando a disposição.
No dia seguinte eu tinha consulta com ela as 16:00 e passei a madrugada toda com contrações e mais contrações , qdo ela me viu disse vc ainda está em fase latente, olha sua cara de paisagem... o exame constatou que estava com 4-5 cm , pediu pra eu tomar um sorvetão do mc (imagina se eu não gostei né? ), caminhar e voltar dali uma hora. Neste intervalo, Dra. Mariana ligou pra Re e pediu pra ela ir até o consultório, conheci a Re pessoalmente ali, nos 45 do 2º tempo, como ela mesmo relatou.. rsrsrs. Ficamos conversando enquanto a médica terminava suas consultas, meu marido e minha filha entraram pois estavam esperando no carro, qdo a médica me examinou novamente SURPRESAAAA!!!!! 7 CM , bora pro hospital.
Meu marido foi levar a minha filha na casa da minha mãe , mas me ligava de segundo em segundo pois tava desesperado achando q não ia dar tempo dele ver o parto. Fui com a Re pro hospital adiantando a internação, mas antes passamos na casa dela. Detalhe, miolão do centro de Campinas. Horário? Por volta das 18:30 da tarde.. kkkk..  Minhaa contrações começaram a ficar mais intensas, mas nada insuportável não, conversava de boa com a Re, no caminho pro hospital. Cheguei lá andando normalmente, esperei preparar meus papéis de internação e subi pro quarto andando. A recepcionista arregalou os olhos qdo a Re disse q eu estava com quase 8 cm rs .
Logo meu marido e a Dra. chegaram e fomos pra sala de parto humanizado do hospital, entrei na banheira, fiquei em varias posições e dilatando muito rápido. As massagens da Re me ajudaram demais . Com 9 cm a Dra. estourou a minha bolsa, pois a neném ainda estava muito alta . Foi onde comecei a sentir contrações mais fortes e pedi anestesia, por medo de sentir dor confesso, mas a meu ver foi bom, mais posições, massagens, chuveiro, bola de pilates, enfim dilatação total, estava começando a ficar exausta devido a 2 noites sem dormir.
Lembro de ter olhado no relógio 00:00 mas já estava empurrando a mais ou menos 1 hora.. olhei novamente 01:00 e já não agüentava mais, olhei novamente 02:00,nestes intervalos eles aumentavam as doses de anestesia e me deram octocina pois as contrações estavam ficando espaçadas demais devido a anestesia (fato este que a Dra. me alertou que poderia ocorrer) .
Cheguei a um ponto de exaustão total, falei coisas que não lembro, que morro de rir hj, mas me lembro de um detalhe, vontade de maiar o celular do meu marido no chão!!!! Não paravam de mandar mensagem perguntando porque a demora, se já tinha terminado, o q tava acontecendo, meu Deus!!!!!!!!
Neste momento a minha médica disse, vamos tentar pela ultima vez se não der faremos fórceps. Aquilo me desmoronou, comecei a orar pra que a Clara saísse logo, mas não deu.
Meu marido não pode nos acompanhar, e ele ficou extremamente preocupado pq chamaram outra médica (mas era um procedimento normal, pq pra fazer fórceps eles teriam que ter mais um profissional junto) ficou ali pensando mil e uma besteiras né, rsrs, enquanto isso me levavam para a sala de cirurgia,eram apenas alguns passos, mas me passou um filme na mente, lembrei de quando a Giovanna nasceu, através de cesária e com fórceps, toda pretinha com o apgar 2 , foi então que pedi a Deus, que enviasse ali um anjo, que me ajudasse que me desse força pra empurrar, pq sozinha não iria conseguir e não queria fórceps, não queria repetir a mesma cena.
Me colocaram na posição ginecológica, me deram a ultima dose de anestesia, a médica ainda brincou, quem sabe mostrando o fórceps ela não resolve nascer por conta própria né? Devido a posição que fiquei a médica teve condições de visualizar que a Clara estava com os ombros atravessados, impedindo a passagem dela. Ela fez uma manobra com a mão virando a cabecinha da Clara e pediu pra eu empurrasse , foi onde ela começou a descer e corou, gente esse negócio do anel de fogo é verdade, meeeeeeeeu Deus queima messsmo, rs rs. Nesta hora meu marido já estava na sala . Me lembro de uma outra médica pegar em minha mão e dizer faz a ultima força pq agora vc verá sua filha! Tira toda raiva ai de dentro e empurra! Eu estava muito fraca, sem forças, esgotada, foi onde lembrei da minha oração e falei com Deus, é agora, me ajuda, faz a força por mim!
Empurrei com uma força que não era minha, então chegou nosso segundo presente vindo do céus, enviado por Deus para nos alegrar ainda mais.
Clarinha nasceu as 02:49 hr do dia 04/02/2012 pesando 3815 gr e 52 cm. Linda e cabeluda...

Já foi direto pro peito, e sugou tudo o que tinha direito e mais um pouquinho rsrs
Trabalho de parto cansativo, mas nem lembro mais das dores, da exaustão, só me lembro do rostinho dela e do sorriso bobo do meu marido e de todos na sala. Faria tudo novamente!
Agradeço a Deus em primeiro lugar, por me dar a oportunidade de ser mãe pela segunda vez. Por me conceder essa experiência maravilhosa do parto normal, e pela saúde das minhas filhas abençoadas.
Agradeço ao meu marido que me deu muito apoio e se mostrou forte, paciente, compreensivo e creio que a experiência o tornou ainda mais ligado a família.
Agradeço a Dra. Mariana que me incentivou e não me deixou desistir do parto normal, me acompanhou e aconselhou por toda gestação, se mostrando humana, preocupada com meu bem estar e da minha pequena, não se importando com o horário e se era pleno final de semana.
Agradeço a Renata Olah, minha doula, que apesar de ter conhecido pessoalmente apenas no dia do parto (por culpa minha rsrs) me deu muito carinho, foi super atenciosa e dedicada!

PARTO NORMAL?

EU RECOMENDO!!!


Comentários

Shilola disse…
Caraca... A Sara é poderosa MESMO... Quanta coisa aconteceu, até a chegada da Clara! :D Muitos e muitos parabéns à ela!
Grande incentivo, esse relato!
Parabéns procê tb, Re! :D
Bjocas,
Carol

Postagens mais visitadas deste blog

Linha Purpura e parto

Durante a gestação o corpo da mulher se modifica, se pigmenta e algumas linhas se formam... Uma das linhas mais conhecidas é a linha nigra, aquela linha escura que aparece no abdome da maioria das gestantes devido alterações hormonais e que depois some...  Mas agora conhecemos uma outra linha, menos perceptível (por estar mais escondida) mas com uma função maravilhosa: indicar indiretamente a evolução do trabalho de parto! Sim!!! O corpo consegue expressar qual o nível de descida do bebê e dilatação do colo através de uma linha que aparece no bumbum: a linha purpura!! Não é demais????? Eu já havia notado a linha purpura em gestantes, mas nunca me atentei para ela... nem imaginava porque ela existia!!! A linha purpura foi descrita e estudada apenas por parteiras cujos estudos já são meio antigos (1990 e 1998) e este ano voltou a ser comentada através da tese de livre docência da Dra. Nádia Zanon Narchi, que resolveu usar a linha purpura como método auxiliar de avaliação de fase ativa do t…

Secreções vaginais durante a gestação e parto

FAQ do site da ONG Amigas do Parto...




Que tipos de secreções vaginais uma gestante pode apresentar?
Durante a gestação e o trabalho de parto as mulheres podem apresentar secreções vaginais consideradas fisiológicas ou não a depender de suas características e época de aparecimento. Basicamente temos 4 tipos de perdas vaginais:
1. Corrimento vaginal
2. Sangramento
3. Tampão mucoso
4. Líquido amniótico
Como são as características de um corrimento vaginal fisiológico?
A cavidade vaginal é como a cavidade oral, assim como temos saliva na boca, temos uma certa quantidade de corrimento na vagina, algumas mulheres têm mais e outras menos. Durante a gestação, a quantidade desta secreção fica aumentada e tem como característica ser esbranquiçada, com odor característico da vagina que não é desagradável como de peixe estragado, e também não é acompanhada de coceira. A gestante também não apresenta ardor ou dor na relação sexual. A coloração do corrimento deve ser observada quando está saindo e nã…

Exercícios para o parto

FOTO 1 -Exercícios Kegel
Durante o último mês da gravidez, alguns exercícios simples podem ajudar a preparar seus músculos para o trabalho.

Comece com exercícios Kegel, que ajudam a manter o tônus dos músculos pélvicos. Basta apertar os seus músculos pélvicos como se você parar o fluxo de urina. Tente manter por cinco segundos, por quatro ou cinco vezes. Depois tente manter os músculos contraídos durante 10 segundos, relaxando 10 segundos entre as contrações. Objetivo é realizar, pelo menos, três séries de 10 repetições por dia. Você pode fazer os exercícios em pé, sentada ou deitada.

FOTO 2 - O alfaiate sentado
O alfaiate sentado trabalha os músculos das coxas e pélvis. Também melhora a postura, mantém as articulações pélvicas flexíveis e aumenta o fluxo sanguíneo para a região mais baixa do corpo.

Para praticar a posição, sente no chão com suas costas retas. Junte as plantas dos pés, puxe o calcanhar para sua virilha e suavemente relaxe os joelhos. Você vai se sentir um estirament…