Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2013

Não entre nesse picadeiro, doutor!!!

Navegando pelo facebook, me deparei com um texto da Dra Carla Polido lá de São Carlos. E achei tão sincero e profundo, que decidi compartilhar com vocês....  Na verdade ela escreveu o texto para seus colegas médicos, mas vale para todo mundo que "torce" o nariz para o assunto "parto humanizado"... Vale a pena refletir...


Você, colega médico, pode não concordar com o jeito natural de nascer. Pode achar que parto humanizado é uma bobagem. Pode acreditar piamente que o parto é um ato médico que depende exclusivamente de conhecimento técnico. Boa sorte em sua vida.
O que você não pode fazer, e se você fizer vai ter que assumir todas as consequências, é julgar a escolha de um casal e o apoio de uma equipe, que incluiu um colega seu, baseado em seus valores (sejam eles quais forem). E se você por acaso cair de para-quedas num atendimento de um parto assim, o que se espera de você como ser humano e profissional habilitado é que você se comporte com decência e ética …

Streptococcus na Gestação: atualização científica

O streptococcus é uma bactéria comum em grande parcela da população feminina, mas muitas vezes sua presença faz com que obstetras e neonatologistas conduzam de modo errado o trabalho de parto e parto das mulheres, e posteriormente as primeiras horas de vida do bebê. Por isso, trago pra cá dois links bacanas compartilhados no facebook pela Dra. Carla Polido, obstetra de São Carlos. Esses materiais (do CDC e do Ministério da Saúde) recomendam administração de antibiótico preventivo durante o trabalho de parto para mulheres com cultura de streptococcus positivo... E no caso de cultura desconhecida ou cultura positiva sem tempo hábil antes do nascimento para dose de ataque de penicilina para a parturiente, a indicação é observação do bebê por 48 horas. Se ocorreu rotura prematura da bolsa há mais de 18 horas ou a idade gestacional é menor do que 37 semanas, deve-se, além da observação clínica por 48 horas, realizar hemocultura. Lembrando que NÃO EXISTE INDICAÇÃO DE TRATAMENTO DE ROT…

Próximo encontro: Humanização do Parto

Encontro imperdível meninas! Compareçam e divulguem!!


O limite ao trabalho das doulas

Entrevista muito bacana para quem quiser conhecer melhor nosso trabalho!

Sofia Feldman (BH): SUS que dá certo!

Porque eu fico tão feliz de ver iniciativas que dá certo!! ♥ Quem sabe um dia Campinas chega nesse nível de assistência, acolhimento e carinho... tanto no SUS quanto nos hospitais privados!!!???

Das doulas como testemunhas

Hoje trago  esse texto publicado hoje cedo no Jornal Folha de S. Paulo.  Foi escrito pela Mariana de Mesquita, uma doula que luta e chora pelas milhares de mulheres que são diariamente violentadas dentro dos hospitais brasileiros...
O perigo oferecido pela doula é que ela presencia a violência covarde contra mãe e bebê. Pais bem informados dão trabalho ao hospital Nos últimos dias, uma rede de maternidades de São Paulo proibiu a entrada de doulas, profissionais que prestam suporte emocional e físico à mulher antes, durante e depois do parto. Diante da repercussão negativa na imprensa e nas redes sociais, mudaram de estratégia: a gestante teria direito a um único acompanhante no parto, devendo escolher entre a doula e o marido. A justificativa era reduzir os índices de infecção hospitalar. Se a preocupação é essa, por que não limitam também o acesso das equipes de fotografia e filmagem? Por que não se esforçam para reduzir os altos índices de cesariana, em torno de 90%? A ver…